Eventos

Poemas de retrospecto

30 de outubro de 2015

Poeta maranhense José Maria Nascimento lança hoje, às 19h, na Academia Maranhense de Letras (AML) o livro “Recreio na Ilha”, produzido em homenagem aos seus 75 anos de idade
Escritor José Maria Nascimento, que lança a obra “Recreio na Ilha” (Foto: Divulgação)

Escritor José Maria Nascimento, que lança a obra “Recreio na Ilha” (Foto: Divulgação)

Retrospecto de vida com uma coletânea de poesias em prosa versificada, o livro “Recreio na Ilha” será lançado pelo poeta maranhense José Maria Nascimento hoje, às 19h, na Academia Maranhense de Letras (AML). São 150 páginas reunindo 90 poemas. A solenidade de lançamento será marcada por uma palestra do autor. A abertura ficará aos cuidados do imortal José Neres, que fará a apresentação da obra e do poeta.

O livro de José Maria Nascimento, segundo ele, foi escrito em homenagem aos seus 75 anos de idade e se trata de sua 10ª obra, todas voltadas para a poesia. “É realmente um retrospecto de minha vida. O livro não é de poesia tecnicamente falando, mas de poesia de prosa versificada, para ficar bem leve para o leitor”, antecipa, reafirmando sua paixão pela poesia, ao ponto de não querer caminhar por outras searas da literatura.

A obra é um retorno ao passado, às coisas e aos costumes da Ilha de São Luís. “Nele, encontraremos os tipos mais estranhos dos nossos subúrbios, com os quais convivi por alguns anos. O livro nos fala das festas de São João, dos carnavais, da zona, dos becos e das ruas, dos bares, dos poetas e artistas plásticos tão biriteiros quanto os pobres suburbanos”, afirmou .

Lazer – “Recreio na Ilha”, em resumo, é uma tentativa de oferecer aos conterrâneos de José Maria Nascimento um instante de lazer. “Depois de tanta violência e de tantos assaltos que não existiam no tempo dos bondes”, frisa.

O autor é maranhense natural de São Luís. Nasceu no Areal, hoje bairro Monte Castelo. O poeta está completando também 50 anos de poesia, tendo começado a escrever os primeiros poemas aos 20 anos de idade e ao longo desse tempo, colecionou 1.230. Ao todo, tem 16 livros publicados, sendo o mais recente, “Antologia poética”, lançado no Convento das Mercês, em 2012.

“O poeta José Maria Nascimento sabe das coisas. Conhece esta cidade, suas ruas, suas histórias, seus personagens de ontem e de hoje, como a palma de sua mão. E arma um quebra-cabeça prazeroso de se armar. Da sua infância e adolescência convivendo com os tipos mais fantásticos enquanto personagens da literatura, mas também seres únicos enquanto figuras humanas e reais, e que ficariam esquecidos para sempre da história de São Luís, não fosse este trabalho do José Maria, que os chama, e nomeia, dos porões do passado para a claridade da história presente, do mundo presente, do tempo presente”, escreveu o poeta Raimundo Fontenele a respeito da obra.

José Maria Nascimento é filho de João e Neuza. Ele, um simples vigia do Matadouro. Ela, uma prendada dona de casa. Muito cedo se rebelou com toda e qualquer forma de ensino. É um autodidata em tudo o que faz. Por longo tempo, foi diretor do Suplemento Literário do Correio do Nordeste, em São Luís. Ganhou prêmios literários em São Luís e em Recife, onde residiu por seis anos. Tem mais de uma dezena de livros de poesia publicados. Lançou os seus poemas em Manaus e em São Paulo. Casado com Maria da Graça, cantora lírica, tem duas filhas, Layane e Tayane.

Poema – José Maria Nascimento
Ilha de São Luís

O sol banha as ruas
Dos afogados e Alecrim
Luminárias dos amores
Na praça e no jardim

Repiques de zabumbas
Ao lado da escadaria
Rumores de uma toada
Com sabor de nostalgia

A índia eleva o homem
Acima do nível do mar
O jovem dança afoito
O velho volta a amar

E quando bate a fome
Em clima de chão quente
Arroz de cuxá e pimenta
Rebatido com aguardente

Aqui o peixe vira pedra
Linda pedra de cantaria
Tudo é um só espetáculo
Sob os efeitos da magia

fonte: OEstadoMA.com