Notícias

Nota de Falecimento do poeta Ferreira Gullar.

4 de dezembro de 2016

A Academia Maranhense de Letras cumpre o doloroso dever de informar a toda a sociedade o falecimento do poeta, cronista, compositor, roteirista, dramaturgo, crítico de arte, tradutor e compositor Ferreira Gullar.

ferreira-gullarNascido na capital maranhense no dia 10 de setembro de 1930, ele foi batizado com o nome de José Ribamar Ferreira e bem cedo estilizou seu nome literário, passando a assinar sua obra com o nome com o qual seria mundialmente conhecido. Aos 19 anos, deixou sua terra natal e foi morar no Rio de Janeiro, onde participou de diversos movimentos literários e se tornou um dos mais ativos intelectuais de segunda metade do século XX e início do século XXI.

Além de sua atuação no âmbito literário, Gullar também ficou conhecido
pela defesa de suas ideias políticas e sociais, sendo muitas vezes convidado a posicionar-se sobre a situação política do Brasil e do Mundo. Suas opiniões, muitas vezes polêmicas, eram comentadas, discutidas e divulgadas em diversos órgãos da imprensa.

Seu primeiro livro, Um Pouco Acima do Chão, foi escrito ainda dentro do modelo parnasiano e por isso foi relegado pelo próprio poeta durante um bom tempo. Mas algumas de suas obras, como A luta Corporal e Poema Sujo são consideradas como essenciais dentro da evolução da poesia brasileira.

Depois de muito relutar, em 2014 aceitou fazer parte da Academia Brasileira de Letras, onde ocupou a cadeira 37 e foi recebido com honras pelos demais acadêmicos. Gullar foi um poeta diversas vezes laureado com prêmios por sua obra e teve vários de seus livros traduzidos para outros idiomas.

O falecimento de Ferreira Gullar deixa uma lacuna nas letras do Maranhão, do Brasil e do mundo. A Academia Maranhense de Letras lamenta muito mais essa lamentável perda e se solidariza com a família e com todos os admiradores da obra do grande Poeta.