Notícias

Lançamentos literários na Academia Maranhense de Letras

1 de dezembro de 2016

Médico e escritor Natalino Salgado lança hoje, às 18h30, na sede da Academia Maranhense de Letras, dois livros sendo um de sua autoria e outro do qual é organizador
Natalino Salgado lança dois livros hoje (Foto: Biné Morais / O ESTADO)

Natalino Salgado lança dois livros hoje (Foto: Biné Morais / O ESTADO)

“Faculdade de Medicina do Maranhão – uma história de 59 anos” e “Adelman Correa – os meus dias na cadeira, origem e memórias” são os dois livros que o médico e escritor Natalino Salgado lança hoje, às 18h30, na sede da Academia Maranhense de Letras (AML), instituição da qual é membro. O primeiro é de sua autoria e o segundo foi organizado e ampliado pelo escritor.

O livro “Os meus dias na cadeia” foi escrito por Adelman Correia e lançado em 1926. Seu autor era maranhense, professor, maestro, crítico musical, jornalista e político. “Resolvi fazer uma nova edição deste livro por considera-lo muito atual. Além disto reuni, além do texto original, capítulos que contextualizam o momento no qual foi escrito, bem como mostram a importância de Aldelman Correa para a história”, diz Natalino Salgado. O livro sai pela coleção Documentos Maranhenses, da AML.

A publicação chega acrescida de elementos iconográficos, com uma linguagem atualizada, notas adicionais e um índice onomástico. De acordo com Natalino Salgado, a ideia de fazer uma nova edição do livro veio com as pesquisas feitas por ele quando da feitura do livro “Tarquínio Lopes Filho: médico, político, jornalista, administrador que virou mito”. “Eles foram amigos e achei necessário trazer ao conhecimento esta obra que retrata um importante acontecimento no Maranhão, no primeiro quartel do século XX, durante passagem da Coluna Prestes pelo Estado e por possuir valor histórico inestimável”, escreve Natalino Salgado em texto de apresentação da edição.

“O livro de Adelman Correa, publicado pela primeira vez em 1926, alcançou retumbante sucesso, por retratar, com fidelidade, uma época e uma gestão (…). A Academia Maranhense de Letras oferece a oportunidade do livro voltar a ser lido com a atenção que merece, na medida em que focaliza uma fase histórica de muita turbulência política”, escreve o presidente da AML, Benedito Buzar, em texto na orelha do livro.

Medicina

O outro lançamento da noite é o livro “Faculdade de Medicina do Maranhão – uma história de 59 anos”. O livro é fruto de muitas pesquisas e também da própria vivência do autor – que é médico, foi diretor do Hospital Universitário e reitor da Universidade Federal do Maranhão.

No livro, Natalino Salgado relata a história da primeira Faculdade de Medicina do Maranhão, falando não apenas de fatos, mas também de seus protagonistas. “O livro é de grande relevância para o público não só porque conta uma passagem de época, mas também porque exalta as pessoas que contribuíram com este processo”, destaca Natalino Salgado.

O autor explica que a primeira tentativa de criação da Faculdade de Medicina no Maranhão deu-se ainda em 1815, por Carta Régia na qual o príncipe regente D. João manifestou o desejo de criar, nos moldes do que já havia ocorrido na Bahia e no Rio de Janeiro, uma escola de medicina no Maranhão. “Mas, por diversos motivos, entre os quais vontade política e falta de incentivos financeiros, isto não ocorreu”, diz Natalino Salgado.

A segunda tentativa foi em 1826 por meio da Irmandade da Misericórdia, mas também não frutificou. Algumas tentativas depois, em 28 de fevereiro de 1957, por esforço da classe médica e da Igreja Católica foi fundada a Faculdade de Ciências Médicas do Maranhão. “Este livro é fonte de pesquisa de indispensável consulta que vem enriquecer o acervo histórico da medicina maranhense”, diz, em texto de prefácio da obra, o membro da Academia Maranhense de Medicina, Aymoré de Castro Alvim.

Serviço

O quê

Lançamento dos livros “Faculdade de Medicina do Maranhão – uma história de 59 anos” e “Adelman Correa – os meus dias na cadeira, origem e memórias”

Quando

Hoje, às 18h30

Onde

Academia Maranhense de Letras, Rua da Paz, Centro