Notícias

Incentivando a literatura maranhense

10 de março de 2018

Academia Maranhense de Letras investe no seu catálogo de publicações e resgata livros com edições esgotadas; somente em 2017 foram lançados no mercado 24 títulos

SÃO LUÍS – A Academia Maranhense de Letras (AML) tem investido em publicações e novas edições de livros, alguns considerados raros e que retornaram ao mercado graças à política editorial adotada pela Casa de Antônio Lobo nos últimos anos. Para se ter ideia, somente em 2017, a instituição lançou 24 obras literárias, entre inéditas e reedições, um fato considerado histórico.

Com a média de dois lançamentos literários por mês, a AML incentiva a propagação e divulgação da literatura maranhense. “Nunca a Academia havia lançado essa quantidade de livros em apenas um ano. Isto nos deixa muito felizes, pois prova que o público aguardava esses lançamentos, que procuram pelos livros e também que há, sim, mercado para a nossa literatura”, destaca o presidente da AML, Benedito Buzar.

Apoiada pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura, a Casa de Antônio Lobo reeditou clássicos que estavam, há tempos, esgotados. “São livros que estudantes, pesquisadores e interessados buscavam há algum tempo e que não conseguiam mais encontrar, salvo exemplares em bibliotecas, quando encontravam. Por isto mesmo estas reedições têm tanto valor”, aponta Benedito Buzar.

O presidente da AML explica que a média de tiragem de cada exemplar é de 300 unidades, sendo que alguns, devido à grande procura, ganharam novas impressões. “Do total destas unidades, 10% são destinados para o Governo do Estado e 10% para o autor ou seus representantes legais”, explica Buzar.

Para ele, a implantação e fortalecimento de um novo canal de vendas também contribuiu para o sucesso do projeto. Trata-se do Espaço Cultural e Livraria Amei. Localizada no São Luís Shopping, a loja disponibiliza um rico acervo de obras de autores maranhenses e funciona, ao lado da tradicional livraria da Academia Maranhense de Letras, não apenas como um canal de vendas, mas também como uma vitrine às produções literárias locais.

Livros

Integram o catálogo de publicações da AML em 2017 obras antes esgotadas como “Cais da Sagração”, de Josué Montello; “Breve história das Ruas e Praças de São Luís”, de Domingos Vieira Filho; “Maria da Tempestade”, de João Mohana; “Úrsula”, de Maria Firmina dos Reis; “O Torrão Maranhense”, de Raimundo Lopes; entre outros. Entre as edições está o livro “Gomes de Souza: O Newton do Brasil”, de autoria de Cícero Monteiro de Souza.

Esta edição de “Cais da Sagração” é a nona e chegou ao mercado mais de quatro décadas depois de seu lançamento. A edição da AML veio suprir uma lacuna, já que o livro foi um dos indicados ao Programa Seletivo de Aceso a Educação Superior da Universidade Estadual do Maranhão (Uema) do ano passado. Marcou ainda o centenário de nascimento de Josué Montello, celebrado em 2017.

Outro livro que também estava fora das livrarias há bastante tempo era o livro “O Torrão Maranhense”, de Raimundo Lopes. A obra, apontada pelos especialistas como a primeira a tratar da geografia humana, ainda é pouco conhecido pelos maranhenses. Para os estudiosos, é um marco da geografia maranhense e, de certa forma, nacional, já que a crítica o considerou como sendo de caráter inovador para a época. Publicada em 1916, foi reeditada na década de 1960 e em 2017, pela Academia Maranhense de Letras que lançou a terceira edição.

Seguindo o mesmo caminho dos anteriores, o livros “Breve História das Ruas e Praças de São Luís”, de autoria de Domingos Vieira Filho, ganhou a terceira edição mais de 40 anos depois da segunda. A obra reúne informações não apenas de ruas e praças da cidade, como sugere o título, mas se estende também a avenidas, becos, largos, travessas e parques especialmente os que compõem o Centro da capital. A primeira edição de “Breve História das Ruas e Praças de São Luís” data de 1971. A segunda veio dois anos depois, em 1973.

Outra publicação da AML é “Gomes de Souza: O Newton do Brasil”, de autoria de Cícero Monteiro de Souza, que é professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco. O livro é fruto de mais de 15 anos de pesquisa e traz a biografia do matemático maranhense que dedicou a vida à ciência e cuja obra literária foi escrita em 17 línguas.

Benedito Buzar ressalta que a política editorial da AML terá continuidade em 2018. “Elaboramos e demos entrada no novo projeto junto ao governo do estado para que possamos, mais uma vez, contar com o apoio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura para prosseguirmos editando e reeditando obras de grande importância para a cultura maranhense”, frisa Buzar.