Notícias

Centenário de Josué Montello terá uma programação especial

22 de Maio de 2017

Autor de livros como “Os tambores de São Luís” e “Cais da Sagração”, o maranhense será homenageado em julho e agosto

Foto: Arquivo

SÃO LUÍS – As comemorações relativas ao centenário do escritor maranhense Josué Montello acontecerão nos meses de julho e agosto deste ano. Com os preparativos em andamento, uma das instituições que fará parte das homenagens será a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), instituição da qual o escritor foi reitor.

As comemorações continuarão durante o mês de agosto, entre os dias 21 e 25, com palestras e visitas guiadas ao acervo da Casa de Cultura Josué Montello, localizada na Rua das Hortas, no Centro de São Luís.

A participação da UFMA foi discutida em encontro realizado na manhã da última quinta-feira (18), entre a reitora Nair Portela, a diretora da Casa de Cultura Josué Montello, Joseane Maria de Souza, representantes dos Departamentos de Letras, Comunicação e Biblioteconomia, além de membros da Editora UFMA, TV UFMA e Rádio Universidade.

Durante a reunião, ficou acertado que a programação ocorrerá entre os dias 3 e 7 de julho na Cidade Universitária Dom Delgado, onde será feita uma exposição sobre a vida e a obra de Josué Montello. A comissão organizadora também sugeriu à universidade participar por meio da publicação de artigos, produções teatrais e criações literárias de alunos. Além disso, a UFMA poderá desenvolver uma coletânea sobre as obras do escritor para ser divulgada no site da instituição.

Josué Montello foi jornalista, professor, romancista, cronista, ensaísta, historiador, orador, teatrólogo e memorialista, nasceu em São Luís em 21 de agosto de 1917, onde passou sua infância e juventude. No começo de 1936, mudou-se para Belém (PA), dali saiu com destino ao Rio de Janeiro, em dezembro do mesmo ano. Filho de Antônio Bernardo Montello, de origem italiana, e de Mância de Souza Montello, de origem portuguesa.

É considerado um dos grandes nomes da literatura brasileira com muitos livros traduzidos no exterior, bem como versões cinematográficas de duas de suas novelas. Foi agraciado com 12 prêmios literários, era membro da Academia Brasileira de Letras e Maranhense de Letras, sócio honorário do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão.

Ocupou o cargo de presidente da Academia Brasileira de Letras, eleito em 9 de dezembro de 1993, onde tomou posse no dia 16 de dezembro, permanecendo até dezembro de 1995. Faleceu em 15 de março de 2006, aos 88 anos, no Rio de Janeiro, onde vivia. Seu corpo está enterrado no cemitério São João Batista, naquela capital.