Pagina Inicial > Acadêmicos > Patronos

Patrono

Cândido Mendes

  • Cadeira

    04

Biografia

Cândido Mendes de Almeida nasceu na antiga freguesia de São Bernardo do Brejo dos Anapurus, hoje município de Brejo, a 14 de outubro de 1818, e faleceu no Rio de Janeiro, em 1º de março de 1881. Foram seus pais o capitão de milícias Fernando Mendes de Almeida e Esméria Alves de Almeida. Bacharelou-se em Direito pela antiga Faculdade de Olinda, depois de haver feito os preparatórios em sua cidade natal. Foi promotor público da capital do Estado e professor de Geografia e História do Liceu Maranhense, em São Luís. Secretariou o grande governador Eduardo Olímpio Machado. Um pouco decepcionado com a Província, mudou-se para a Corte, exercendo importantes cargos, como os de diretor de seção da Secretaria da Justiça e chefe de seção da Secretaria dos Negócios do Império. Representou o Maranhão na Câmara Temporária e foi escolhido senador pelo mesmo Estado, na vaga do conselheiro João Pedro Dias Vieira. Cândido Mendes era detentor de vasta erudição, e os seus comentários ao Código Filipino ainda hoje são citados como trabalho de profunda e sábia interpretação e análise da antiga legislação portuguesa ao tempo de Filipe II. Foi membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. É patrono da Cadeira nº 19, do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão.

Bibliografia

  1. Código Filipino ou ordenações e leis do reino de Portugal. Rio de Janeiro, 1870. 1487 p. in 4º. Edição fac-similar da 14ª edição de 1870: Lisboa, Fundação Gulbenkian, 1985; Brasília: Senado Federal, 2004.  5 v.Auxiliar jurídico. Rio de Janeiro, 1869. 849 p. in 4º gr.
  2. Direito civil eclesiástico brasileiro. Rio de Janeiro, 1866-1873. 2 tomos, em 4 v. in
  3. Princípios de direito mercantil e leis de marinha. Rio de Janeiro, 1874. 2 v. in 4º, 1450p.
  4. Arestos do Supremo Tribunal de Justiça. Rio de Janeiro, 1880. 2 v. in 4º.
  5. Memórias para a história do extinto Estado do Maranhão. Rio de Janeiro, 1860- 1874. 2 v. in 8º.
  6. A Carolina, ou a definitiva fixação de limites entre as províncias de Maranhão e de Goiás. Rio de Janeiro, 1852. 8 p. in 4º, com um mapa. 2.ed.: Academia Imperatrizense de Letras, 2007.
  7. Atlas do Império do Brasil. Rio de Janeiro, 1868.
  8. O Turiaçu ou a incorporação deste território à Província do Maranhão. Rio de Janeiro, 1851. XXIV+128 p. in 4º.
  9. Os serviços relevantes de Manuel Teles da Silva Lobo, na Província do Maranhão. Maranhão, 1851. in 8º.
  10. As eleições da província do Maranhão em 1842, sob a presidência do Sr. Dr. Venâncio José Lisboa. Rio de Janeiro, 1843. 61 p. in 8º.
  11. Cartas ao redator de A Revista. Maranhão, 1847. 6 p. in 8º.
  12. Cartas aos redatores do O Progresso. Maranhão, 1847. 4 p. in 8º.
  13. Carta ao redator do Publicador Maranhense. Maranhão, 1847, in 8º.

Incluem-se ainda em sua bibliografia traduções, discursos políticos, a colaboração histórica para a Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, além de artigos de jornal.