Stencil-Acrilex-30x8-1125-Barra-Arabesco-2 copiar

Cadeira Nº 06

Laura Amélia Damous

Stencil-Acrilex-30x8-1125-Barra-Arabesco-2 copiar

Biografia

Laura Amélia Damous Duailibe nasceu em Turiaçu-MA, a 10 de abril de 1945. Em São Luís, estudou no Colégio Santa Teresa, de onde saiu como professora normalista e, posteriormente, cursou Filosofia na Universidade Federal do Maranhão. Ocupou inúmeros cargos públicos ligados a atividades culturais, dentre os quais: diretora do Teatro Arthur Azevedo (1985) secretária de Estado da Cultura (1987/1989), superintendente de Interiorização da Cultura, subchefe da Casa Civil do Governo do Maranhão (1993) e gestora de Programas Especiais da Casa Civil do Governo do Estado do Maranhão. Entre outras distinções, recebeu as seguintes comendas do Governo do Estado do Maranhão: Medalha do Mérito Timbira, Medalha do Mérito Grã-Cruz da Ordem Timbira, Medalha do Mérito Cultural João Lisboa, Medalha Comemorativa dos 400 anos de São Luís, Medalha Comemorativa dos 400 anos de São Luís, pela Assembleia Legislativa do Maranhão e Professora Honoris Causa da Faculdade São Luís. Sua obra literária é inteiramente dedicada à poesia. Na Academia Maranhense de Letras, ocupa a Cadeira nº 6, como sucessora de Eloy Coelho Netto.

Bibliografia

1) Brevíssima Canção do Amor Constante. São Luís: Serviço de Imprensa e Obras Gráficas do Estado, SIOGE,1985.

2) Arco de tempo. São Luís: Edições SECMA, 1987.

3) Trajes de Luzes. São Luís: SIOGE,1993.

4) Cimitarra. São Luís: UEMA, 2001.

5) Arabesco. São Luís: Lithograf, 2010.

6) Inventário dos Sentidos. São Luís: 360º Gráfica e Editora, 2013.

7) Na Casa de Antônio Lobo. São Luís: Edições AML, 2003. (Coautoria com Américo Azevedo Neto).

8) Discurso de Laura Amélia Damous. Revista da Academia Maranhense de Letras. São Luís: Edições AML, ano 91, n0 24, p. 13-27, out., 2010.

Participou das Antologias: 

9) Esperando a missa do galo. São Luís: SIOGE, 1973. 

10) Circuito de Poesia Maranhense.  São Luís, CEUMA, 1995.

11) A poesia maranhense no século XX, 1994.

12) Dicionário Crítico de Escritoras Brasileiras (1711/ 2001). São Paulo: Escrituras Editora e Distribuidora de Livros,2002.

Possui muitas publicações esparsas em jornais e revistas literárias, palestras em eventos culturais e apresentações de livros de poetas maranhenses.


Referências para estudo

1) BRASIL, Assis. A poesia maranhense no século XX. Rio de Janeiro e São Luís: SIOGE/IMAGO,1994.

2) LOUZEIRO, José. Arabesco. O Estado do Maranhão, São Luís, 2010.

3) AZEVEDO, Ramiro. A cataforese titular de Laura Damous. O Estado do Maranhão, São Luís, 2008.

4) MACHADO, Nauro. Cravos e Luas de uma cimitarra verbal, Cimitarra, São Luís: UEMA, 2001.

5) FILHO, Hildeberto Barbosa. Laura Amélia Damous e o exato êxtase – Cimitarra. São Luís: UEMA, 2001.

6) LYRA, Pedro. Uma poética sincopada, Brevíssima canção do amor constante. São Luís: SIOGE, 1985.

7) NOVAES COELHO, Nelly. Dicionário Crítico de Escritoras Brasileiras (1711/ 2001). São Paulo: Escrituras Editora e Distribuidoras de Livros, 2002.

8) Saudação de Américo Azevedo Neto. Revista da Academia Maranhense de Letras. São Luís: Edições AML, ano 91, n0 24, p. 29-42, out., 2010.

GUARNICÊ DA MEMÓRIA


Não importa que as matracas

se dispersem

o ritmo

desde aos pés

na marcação exata

Não importa que as vozes

se percam

As toadas se eternizam

na ressonância das noites

Não importa que esse boi 

se canse

Ficará brincando nos teus olhos

Sempre.



(DAMOUS, Laura Amélia. Cimitarra. São Luís: UEMA, 2001, p. 71)



Carrinho de compras