Blog

Academia Maranhense de Letras

José Carlos Sousa Silva

Cadeira 33


Presente inesquecível

27 de janeiro de 2018

No dia 4 (quatro) de dezembro de 1965, recebi do escritor Bernardo Coelho de Almeida o livro de crônicas “Galeria”, no qual ele, referindo-se a minha pessoa, afirmou: “Para o José Carlos, meu irmão de ideal literário, com a estima do Bernardo Almeida.”

Diante desta dedicatória fiquei muito emocionado. Eu, então, apenas com 21 anos de vida e sonhando sempre em ser escritor também, além de advogado, jornalista e professor. Finalmente, consegui estas missões importantíssimas na minha vida, já, hoje, glorificadas como Membro Efetivo da Academia Maranhense de Letras, onde ocupo a Cadeira nº33. Esta instituição excelente está sob a Presidência do Escritor Dr. Benedito Bogéa Buzar.

O escritor Bernardo Coelho de Almeida sempre fez o melhor na vida. Era cordial e assim amigo perfeito das pessoas no seu meio social.

Ele sempre soube vencer as dificuldades na vida sem criar obstáculo à vida das pessoas. Sabia de onde veio, onde estava e para onde pretendia ir.

Bernardo Coelho de Almeida ocupou a Cadeira nº14 na Academia Maranhense de Letras, da qual é Patrono Nina Rodrigues e seu Fundador Antônio Lobo, inicialmente ocupada por Achiles Lisboa e Odilon Soares. Hoje, é ocupada por Edson Vidigal.

Ele nasceu na cidade São Bernardo, no Maranhão, em 13 de junho de 1927 e faleceu em 04(quatro) de agosto de 1996. Residiu durante muitos anos em São Luís, onde muito atuou na Rádio Difusora e no jornalismo, de forma inteligente e culta. Desse modo, se tornou muito aplaudido.

O seu nome está, hoje, registrado na Academia Maranhense de Letras como um dos seus inesquecíveis Membros Efetivos. É, assim, um imortal.

Os que dirigem, hoje, o Município São Bernardo, no Maranhão, devem unir-se e assim prestar homenagens ao escritor Bernardo Coelho de Almeida, seu eterno filho, que garantiu na história da literatura e, em especial, no jornalismo, magnífico espaço.

Os justos merecem ficar na eternidade e aí servindo sempre de bons exemplos para as novas gerações.

O escritor Bernardo Coelho de Almeida nasceu num meio social muito pobre. Mesmo assim, muito trabalhou e estudou na busca do melhor e somente fazendo o bem.

Desse modo, ele cresceu na vida e deixou marcas da sua inteligência e cultura.

As novas gerações devem conhecer a sua história, pois nela estão registradas bons exemplos.

Os dirigentes do jornalismo, hoje, no Maranhão, devem, sim, prestar homenagens, com muito destaque, ao jornalista Bernardo Coelho de Almeida, que sempre exerceu essa profissão de forma eficiente e assim deixando lições eternas.

Ele esteve na luta permanente em benefício do jornalismo em geral. E no qual esteve como palco perfeito para fazer do melhor em benefício do povo.

Já está construído na referida cidade uma Biblioteca, que tem o nome: Bernardo Coelho de Almeida e onde funciona também a Escola de Contabilidade. Eis aí uma homenagem muito justa ao ilustre escritor, que merece mais outras homenagens em face do que muito fez durante a sua vida em benefício de muitas pessoas.

José Carlos Sousa Silva

Advogado, jornalista e professor da UFMA e Universidade Ceuma, mestre em Direito pela UnB, membro da Academia Maranhense de Letras

E-mail: jcss@elo.com.br