Blog

Academia Maranhense de Letras

Ubiratan Teixeira

Cadeira ubiratan-teixeira


Poetas se reúnem no 'Odylo'

25 de abril de 2014

Rapazes e moças que formam o grupo maranhense “Marcha pela Poesia” estarão se reunindo hoje no Centro de Criatividade Odylo Costa, filho para escutar mais um luminar de nossa história literária, desta vez a poetisa, cronista e contista Arlete Nogueira da Cruz Machado e debaterem com a convidada aspectos importantes da cultura literária maranhense, sobretudo aqueles que forem destacados por Arlete ao longo de sua conversa.

Não apenas intelectual de mérito, Arlete é uma das figuras chaves na luta pela preservação de nossas tradições culturais e incentivadora atuante de nossas letras e artes: foi ela, então diretora do Departamento de Cultura do Estado no governo Pedro Neiva de Santana, no século passado, que deu status de Secretaria ao Órgão, dinamizando suas ações, ampliando suas atividades projetando nacionalmente, no que lhe foi possível, nossa produção artística e literária.

Destes encontros mensais, que vêm acontecendo deste janeiro do ano em curso naquele centro de referência cultural de São Luís, carinhosamente franqueado por sua diretora, a intelectual e membro destacado da Academia Maranhense de Letras, Ceres Costa Fernandes, já deram presença a poetisa, também acadêmica de Letras e gestora cultural Laura Amélia Damous Duailibe e o poeta e agitador cultural Celso Borges.

O Movimento nasceu numa dessas redes sociais que circulam pela internet, criou cérebro, tutano e alma não se contentando permanecer online pulou aqui p’ra fora criando volume que aos poucos vai atuando de forma benéfica no corpo da sociedade incluindo-se a publicação de uma coletânea de suas melhores produções poéticas que esperam poder fazer circula ainda este ano.

Avaliando com carinho e de forma honesta este movimento, gerado e desenvolvido em pleno século do pensamento eletrônico e linguagem digital fica-se feliz em constatar que ainda existem racionais equilibrados produzindo algo inteligente e humanamente palpável.

São jovens entre 25 e 30 anos de idade, de uma lucidez com vários quilates acima da média planetária, universitários em estágio avançado na sua formação acadêmica, altos funcionários públicos, artistas plásticos, músicos, empresários e até mesmo filhinhos de papai (sem manhas ou proteção canina) abertos a admitirem adeptos na sua comunidade dispostos a solidificar cada vez mais esse precioso e saudável projeto de vida.

Ler e produzir bons resultados; concordar ou discordar com lúcidos argumentos; pensar num planeta limpo de qualquer forma de poluição – material e espiritual.Hoje, a partir das 19:00 no Centro de Criatividade Odylo Costa, filho com os membros da comunidade “Marcha pela Poesia” – aliás, aproveitando a dica, o leitor sabe por acaso quem é essa figura? Odylo Costa, filho.