Blog

Academia Maranhense de Letras

Ewerton Neto

Cadeira 11


BEATLES RAHPSODY

23 de dezembro de 2018

Sem os Beatles teria havido o Queen? Conversávamos entre amigos sobre o estrondoso sucesso internacional do filme Bohemian Rahpsody cobrindo a trajetória de Freddie Mercury, líder da banda Queen, quando um de nós, ardoroso fã de MPB e rock, me dirigiu a pergunta acima: Eu, que ainda não vi o filme, não respondi de pronto,  não só porque é difícil conceber a resposta exata como porque a sua indagação ensejava outras: O que seria da existência humana sem os sonhos da juventude? Como seria a geração dos Beatles, e as que se seguiram, caso eles não tivessem existido? Em relação […]


Natalino Salgado

Cadeira 16


Sejam (os) gratos

22 de dezembro de 2018

Concerto para Natal é obra do compositor italiano Francesco Manfredini, uma das mais belas peças eruditas que fazem recordar em nós os sentimentos a serem enfatizados por ocasião do natal. Entre estes sentimentos, destaco o da gratidão. Afinal, estamos próximos daquele que deveria ser considerado o dia mundial deste sentimento. Deus generosamente ofertou seu Filho amado que, encarnado em forma humana, palmilhou esta terra, promovendo o bem, ofertando graça e misericórdia. Não por acaso, o papa Francisco afirmou que “o sentimento de gratidão é a única resposta humana digna do imenso dom de Deus”. Nas palavras do Sumo Pontífice “uma […]


José Carlos Sousa Silva

Cadeira 33


Panteon Maranhense

22 de dezembro de 2018

O Panteon Maranhense já foi, recentemente, restaurado, o que é, sem dúvida, motivo de muitos aplausos aos seus restauradores, pois se trata de um palco cultural muito importante para o povo em geral. Trata-se de uma obra inicial do escritor genial Antônio Henrique Leal, que nasceu em 24 de julho de 1828, na localidade, hoje, município de Cantanhede, no Maranhão, e faleceu no Rio de Janeiro, em 29 de setembro de 1885. Ele é o patrono da Cadeira nº 10, da Academia Maranhense de Letras, hoje, ocupada pelo membro efetivo, Dr. Sebastião Barros Jorge. Como historiador literário e biógrafo ele […]


Lino Moreira

Cadeira 08


Lembrancinhas de Natal

22 de dezembro de 2018

Estas semanas de dezembro são do Bom Velhinho por direito milenar. Essa figura tão simpática habitou minha imaginação infantil e ainda hoje me dá a sensação de que o altruísmo existe e não é apenas um disfarce do egoísmo humano em sua perene luta pela preservação da espécie. E por falar em preservação da espécie, vejam minha descoberta recente. O comportamento de homens e mulheres, quando vão às compras, como nestes dias, é semelhante ao da tribo humana em eras primitivas, quando os machos arrastavam as fêmeas pelos cabelos, pelo menos na visão dos cartunistas. É conclusão baseada na evolução […]


Ceres Costa Fernandes

Cadeira 39


Natal sem beijo

22 de dezembro de 2018

Final dos anos 40. Ele deve viajar para o sanatório de Correias, lugar de clima frio e seco, referência no tratamento do mal de Koch. Nome científico da doença cujo verdadeiro nome – tuberculose – era apenas cochichado para não envergonhar as famílias. Assim como se dá, hoje, com a AIDS. A decisão pesa sobre seus magros ombros. Conhecidos e amigos tomaram esse rumo e não retornaram. Aconteciam curas, mas a herança maldita do século XIX, quando o chamado “mal do século” não poupava ninguém, alimentava ainda o preconceito. Tuberculoso. Isso é o que ele era. A identificação do mal […]


Benedito Buzar

Cadeira 13


A Ressurreição da Federação das indústrias

22 de dezembro de 2018

O segundo, de alegria, ao assistir em pleno regime discricionário o ressurgimento da Federação das Indústrias do Maranhão, que havia sido banida da Confederação Nacional da Indústria, face à cassação da sua Carta Sindical, em setembro de 1964. No ano de 1968, o Maranhão viveu dois momentos bem diferenciados, em decorrência da decretação do Ato institucional nº 5. O primeiro, de tristeza, com dois de seus mais brilhantes representantes no Congresso Nacional, Renato Archer e Cid Carvalho, que perderam os mandatos, sem esquecer o governador, José Sarney, que passou por imensas dificuldades e empenhou-se com todas as forças para não […]


José Carlos Sousa Silva

Cadeira 33


Comunicação Social

15 de dezembro de 2018

Os artigos 220 ao 224 da Constituição da República Federativa do Brasil devem ser aplicados sempre de forma correta. No artigo 220 da Constituição brasileira está assim previsto: “A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.” No (parágrafo) 1º do artigo, acima transcrito, está determinado: “Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social, observado o disposto no artigo 5º, incisos IV, V, X, XIII e XIV.” No inciso IV do […]