Blog

Academia Maranhense de Letras

Sebastião Moreira Duarte

Cadeira 01


Aquele que não devia morrer

8 de junho de 2019

Escrevo estas linhas à beira-mágoa, como diria o poeta. Recusei-me, de início, a escrevê-las, sem saber se o que me afligia mais era a mágoa em si, ou a sua causa inesperada e inexorável. Encontrei-me ausente de São Luís, por alguns dias. De volta, retomando uma pauta de trabalhos adiados e inadiáveis, amanheço batendo as aldrabas da porta grossa do Mavam, o Museu da Memória Audivisual do Maranhão, aos pés da igreja do Desterro. Preciso de imagens para ilustrar algumas publicações próximas da Academia Maranhense de Letras. Bato, e ninguém me ouve. Bato e insisto. Abre-me a porta, relutante, alguém […]


Benedito Buzar

Cadeira 13


Bancada sem brilho, mas atuante

8 de junho de 2019

Ao compará-los, lembro do saudoso deputado Ulisses Guimarães, que do auge de sua sabedoria política, dizia que “no Brasil, cada legislatura que começa é sensivelmente pior do que a anterior. O leitor desta coluna sabe que eu tenho sido implacável com os representantes maranhenses, que nos últimos tempos se elegeram para o Congresso Nacional, sobretudo quando comparo com os senadores e os deputados federais do passado. Ao compará-los, lembro do saudoso deputado Ulisses Guimarães, que do auge de sua sabedoria política, dizia que “no Brasil, cada legislatura que começa é sensivelmente pior do que a anterior.” O Maranhão não foge […]


Joaquim Haickel

Cadeira 37


Reforma política já!…

1 de junho de 2019

Todo mundo vive falando em reforma da previdência, reforma tributária e medidas de contenção da corrupção e da criminalidade, mas não escuto ninguém falar na mãe de todas as reformas, sem a qual as demais serão inócuas, pois sem ela o mal maior não será combatido de forma eficiente, eficaz e efetiva, a reforma política. Relaciono a seguir 11 pontos que em minha modesta opinião não podem estar fora da pauta da urgente reforma política que precisamos aprovar para que o Brasil volte a ser um país viável. 1 – Eleições gerais e coincidentes: Com votação para representantes populares para […]


Natalino Salgado

Cadeira 16


Coragem para superar os desafios

1 de junho de 2019

Quando realizei a pesquisa para o livro sobre a fundação do curso de Medicina, em 2016, deparei-me com uma parte importante da história da própria UFMA, universidade que nasceu de sonhos de homens que atravessaram todo o século XX, mas que vieram a se concretizar pela tenacidade, coragem e, acima de tudo, pela postura visionária de Dom Delgado que hoje dá nome à cidade universitária. Dom Delgado foi um homem que sabia muito bem o que disse Shakespeare: “palavras não são atos” e que o escritor brasileiro Caio Fernando Abreu complementaria com sua frase “…porque são os atos e não […]


José Carlos Sousa Silva

Cadeira 33


Teatro Arthur Azevedo

1 de junho de 2019

Hoje, 1º de junho de 2019, é aniversário do Teatro Arthur Azevedo, que completa 202 anos de sua fundação, merecendo sempre o apoio integral de sua contribuição à arte em geral e, em especial, à exibição em palco teatral de espetáculos do mais elevado nível. Arthur Azevedo merece, sim, continuar na memória e no coração do povo maranhense. Com a sua inteligência e cultura deixou marcas eternas para a literatura e em especial para palcos em teatros. O seu nome completo é Arthur Nabantino Gonçalves Azevedo, que nasceu em São Luís, Capital do Maranhão, no dia 7 de julho de […]


Benedito Buzar

Cadeira 13


Porto do Itaqui, Duque de Caxias e Sarney

1 de junho de 2019

Se o governador Dino faz de conta que não sabe, não me custa nada dizê-lo que esse empenho de Sarney não começa quando assume o governo do Estado, em 1965. Dias atrás, ouvi atenciosamente a entrevista do governador Flávio Dino aos jornalistas da TV-Difusora, em que mirava o Porto do Itaqui e realçava o seu papel no desenvolvimento do Maranhão, ao mesmo tempo em que defendia a não privatização da Empresa Maranhense de Administração Portuária, que realiza “uma gestão respeitada nacional e internacionalmente, que motiva os operadores a nela investirem.” Se, por um lado, louvo o governador por reconhecer publicamente […]


Ceres Costa Fernandes

Cadeira 39


ATÉ QUE O CELULAR OS REÚNA

31 de maio de 2019

Um trem partindo da estação, o comboio coleando e emitindo um nostálgico apito, alguém que chega atrasado para um encontro ou mesmo uma viagem a dois, cena icônica presente nos filmes ou nos romances de amor, marca das coisas perdidas ou inalcançáveis. Aí, dava-se o desencontro, o desenlace, a separação. Às vezes, anos mais tarde, o reencontro, já com as vidas refeitas, outros companheiros, filhos e compromissos a impedirem, novamente, a concretização da grande paixão. A partir desses desencontros, construíram-se grandes filmes, tocantes poemas e famosos romances de amor. No filme “Tarde Demais para Esquecer”, estrelado por Deborah Kerr e […]