Blog

Academia Maranhense de Letras

José Carlos Sousa Silva

Cadeira 33


Aqui estou e nunca vou sair

30 de novembro de 2019

A cidade São Luís, Capital do Maranhão, é muito linda. Nela não nasci, porém nela muito cresci e de dentro dela nunca vou sair. Ela é berço de muitos Imortais. Não é apenas palco de uma arquitetura lindíssima e assim revelando sempre a inteligência e a cultura de muitos franceses e portugueses, apoiados e aplaudidos por todos os maranhenses. Nela nasceram José Ribeiro do Amaral, Antônio Batista Barbosa de Godóis, Inácio Xavier de Carvalho, Antônio Francisco Leal Lobo, Raul Astolfo Marques e Armando Vieira da Silva, os quais estão entre os Fundadores da Academia Maranhense de Letras, fato concretizado em […]


Ewerton Neto

Cadeira 11


O CANTO DE UM CAVALO CANTOR

26 de novembro de 2019

Especial de José Ewerton Neto para o Caderno Alternativo, jornal O estado do Maranhão, edição de domingo, sobre o livro de contos de Denise Emmer Em o Cavalo Cantor, recente livro da romancista, compositora musical e poeta Denise Emmer lançado pela editora Espelho d’Alma (antiga Escrituras) estamos diante de uma autora “que escreve em letras destacadas, como a poesia que permitiu em sua vida” , como ela mesma diz na abertura do livro.Quantos de nós permitimos a poesia em nossas vidas? Parece simples, mas não é, pelo contrário, é muito raro e especial! O escritor francês Vítor Hugo já determinava: […]


Lourival Serejo

Cadeira 35


Vieira e o romance de Ronaldo

23 de novembro de 2019

O escritor Ronaldo Costa Fernandes, nosso confrade na Academia Maranhense de Letras, está vivendo um período de elevada criatividade, com sucessivos lançamentos de livros, nas categorias de ensaios, poesias e romances. Acabei de ler os dois últimos romances de Ronaldo: O apetite dos mortos e Vieira na ilha do Maranhão O primeiro é uma obra de autoficção, em que realidade e ficção se misturam para formarem uma “quase memória”. Logo ao abri-lo, o leitor é atraído pelo impacto suave da primeira frase: “Quem me ensinou a dar nó na gravata foi meu vizinho”. O segundo romance, Vieira na Ilha do […]


José Carlos Sousa Silva

Cadeira 33


Eleição na Academia Maranhense de Letras

23 de novembro de 2019

No próximo dia 28 do mês em curso, às 17 horas, será realizada eleição da nova Diretória e da Comissão Fiscal da Academia Maranhense de Letras, para o biênio 2020-2022. Somente foram registrados objetivando a eleição, acima citada, os imortais: Diretoria: presidente: Carlos Gaspar, vice-presidente: Lourival Serejo, secretário-geral: Sebastião Moreira Duarte, 1º secretário: José Ewerton Neto, 2ª secretária: Laura Amélia Damous, 1º tesoureiro: Joaquim Haickel, 2º tesoureiro: José Neres; Comissão Fiscal: José Carlos Sousa Silva, Alex Brasil e Natalino Salgado. Após a realização da eleição, acima mencionada, os eleitos serão empossados e passarão ao cumprimento de suas atribuições previstas no […]


Natalino Salgado

Cadeira 16


Uma épica batalha

23 de novembro de 2019

Um tesouro literário está disponível ao alcance de um clique no site do computador da Biblioteca do Senado Federal e que apresenta um acervo expressivo sobre a formação do Maranhão. Trata-se da obra “Historia da Companhia de Jesus na extincta província do Maranhão e Pará”, escrito pelo padre José de Moraes, em 1860, na qual o sacerdote narra diversos acontecimentos históricos e entre estes, as peripécias vividas por Jerônimo de Albuquerque Maranhão, no decurso da famosa batalha de Guaxenduba, que no último dia 19, completou 405 anos. A batalha deu-se no atual povoado de Santa Maria, localizada no atual município […]


José Carlos Sousa Silva

Cadeira 33


República Federativa do Brasil

16 de novembro de 2019

No último dia 15 do mês em curso, o povo brasileiro certamente pensou muito e se lembrou que, no dia 15 de novembro de 1889, aconteceu o fato histórico, até hoje, inesquecível, da concretização da República Federativa do Brasil. Diante dessa realidade histórica o povo brasileiro deve estar muito satisfeito e aplaudindo o Brasil inteiro, que tem sido e será sempre seu eterno e perfeito berço, que Deus lhe deu. A Proclamação da República Federativa do Brasil tem uma história muito longa e para ser completamente contada, posta, portanto, diante dos olhos, dos cérebros e dos corações de todas as […]


Benedito Buzar

Cadeira beneditobuzar


O decreto que abalou a República

16 de novembro de 2019

Só três dias depois de Proclamada a República no Rio de Janeiro, a 18 de novembro de 1889, é que a Província do Maranhão adere ao novo regime, quando ascende ao poder uma Junta Governativa, constituída por seis militares e dois civis, que transmite a 17 de dezembro o poder ao advogado maranhense, Pedro Augusto Tavares Junior, radicado no Rio de Janeiro e republicano de primeira linha.No dia seguinte à posse, o novo governante começava a mostrar serviços, anulando todos os atos praticados pela Junta Governativa. Contudo, estava reservado para o dia 26 de dezembro a assinatura de um decreto, […]