Blog

Academia Maranhense de Letras

Natalino Salgado

Cadeira 16


É possível editar gente?

5 de janeiro de 2019

Um pesquisador chinês diz ter editado os genomas de garotas gêmeas para, supostamente, torná-las imunes ao vírus da AIDS. A repercussão foi imediata e alarmada. Existem rígidos protocolos na pesquisa de edição de genes, especialmente no que toca a embriões humanos. Nos EUA, embriões podem ter seu DNA alterado em pesquisa, mas jamais implantado. O mundo científico desconfiava que isso seria feito na China, onde as regras bioéticas são menos observadas. A bioética é uma área do conhecimento associada intimamente à pesquisa e à ciência em geral. Ela estabelece limites que devem ser estritamente observados, pois, ações realizadas no afã […]


José Carlos Sousa Silva

Cadeira 33


Ao advogado dr. Kleber Moreira

5 de janeiro de 2019

No dia 8 (oito) de janeiro de 2019 o advogado dr. Kleber Moreira estará completando 88 anos de vida. Ele nasceu, portanto, no dia 8 de janeiro de 1931, em Penalva, no Maranhão. É maranhense puro e merecedor dos aplausos de todas as pessoas. Ele cursou o Primário na Escola Agrupada J. J. Marques, em Penalva, no grupo Escolar Arimatéia Cisne, no Instituto Rui Barbosa, em Arari, a seguir, concluiu o Curso Ginasial no Ateneu Teixeira Mendes e o Científico no Liceu Maranhense, em São Luís. No dia 10 de dezembro de 1955, na antiga Faculdade de Direito, ele colou […]


Lino Moreira

Cadeira 08


Gramsci em declínio

5 de janeiro de 2019

Finalmente chegou o dia da materialização da derrota da ideologia que havia monopolizado durante décadas o mundo brasileiro da cultura. Mas, atenção, mesmo em baixa, ela não está completamente derrotada, exigindo, por isso, ação atenta da sociedade brasileira, orientada ao repúdio à volta das jararacas políticas ao poder, do macro poder e do micro. O quase monopólio, quebrado com a eleição de Jair Bolsonaro à presidência da República, se apoiava teoricamente no gramscianismo, forma de marxismo cultural. Este propõe como estratégia para alcançar o poder o abandono de revoluções violentas, como aconteceu em países como a Rússia e China. Mais […]


Natalino Salgado

Cadeira 16


2018, um ano tóxico?

29 de dezembro de 2018

“O instante é em si mesmo iminente. Ao mesmo tempo que eu o vivo, lanço-me na sua passagem para outro instante” (Clarice Lispector) Tornou-se uma tradição. O dicionário Oxford escolhe a cada ano uma palavra que simbolize e reflita nossa conturbada rede de relações e que constrói nossa história. Em 2016, ano da eleição do presidente americano, a expressão pouco comum, mas que representou bem os novos ventos que se impunham no cenário político mundial, foi “pós-verdade”. Em 2017, a palavra escolhida foi “youthquake” em tradução livre significa terremoto jovem, pois homenageava a força da geração milenial. Este ano, que […]


José Carlos Sousa Silva

Cadeira 33


Natureza da Alma

29 de dezembro de 2018

Eu, desde criança, sempre acreditei na existência da alma no corpo humano, o qual, após a morte, ninguém quer ficar com ele, é escondido ou destruído do finalmente. Quando eu estudei no Curso Clássico no Liceu Maranhense, o meu eterno Professor Cônego Ribamar Carvalho ensinou-me muito e, em especial, filosofia. Ele me deu de presente, que tenho até hoje, o livro Manual de Filosofia de autoria do Professor Theobaldo Miranda Santos, Catedrático do Instituto de Educação e da Universidade Católica do Rio de Janeiro. No livro, acima referido, está esta excelente lição: “Existência da Alma. – O estudo objetivo dos […]


Joaquim Haickel

Cadeira 37


Memória gastronômica afetiva

29 de dezembro de 2018

Recentemente, conversando com alguns amigos, empresários, jornalistas e escritores, os conclamei a escrevermos um guia memorial e afetivo sobre as comidas de nossa cidade, os locais onde elas eram preparadas e servidas e as pessoas que as faziam com dedicação e esmero, como forma de registrar a nossa história gastronômica. Para minha surpresa recebi em um grupo de WhatsApp a lista abaixo que eu passo a reproduzir, acrescendo alguns itens, que serão vistos entre parênteses. Faço isso em homenagem ao jornalista Lourival Bogéa, que postou o texto, conclamando-o, assim como a outros, a fazermos esse trabalho que julgo ser de […]


Benedito Buzar

Cadeira 13


As óbvias previsões de 2019

29 de dezembro de 2018

Eu, particularmente, não acredito em tais previsões, mas não censuro e nem critico os que nelas acreditam, as quais, por serem manifestações sobrenaturais, se originam num mundo desconhecido, que não tenho nenhum interesse em desvendar. Os meios de comunicação, impressos ou eletrônicos, costumam, nos finais de ano, oferecer aos leitores, espectadores e ouvintes longas entrevistas com videntes, médiuns, pais de santos, cartomantes e similares, dos quais procuram extorquir prognósticos e previsões sobre atos e fatos que podem vir à tona no ano entrante. Através dessas figuras, supostamente dotadas de poderes sobrenaturais, somos informados a respeito do que está reservado à […]