Blog

Academia Maranhense de Letras

José Carlos Sousa Silva

Cadeira 33


O ensino da História da Literatura Maranhense

13 de junho de 2020

O Ensino da História da Literatura Maranhense deve ser, urgentemente, incluído em todas as escolas, em níveis adequados, no Território do Estado Maranhão. Assim, os jovens e as jovens estudantes poderão conhecer, logo, a grandeza e a importância dessa história na ampliação de suas inteligências e de seus conhecimentos.

Aí estão nomes de romancistas, contistas e poetas, que se tornaram conhecidos no Brasil e, em grande parte do mundo, através de suas produções literárias inesquecíveis.

A Literatura é, sem dúvida, uma espécie de arte, expressão autêntica, pura, perfeita, contida nos romances, nos contos e nas poesias, portanto, em prosa ou verso.

A História da Literatura Maranhense tem, evidentemente, um longo espaço no tempo, onde estão registrados, em livros, nomes de romancistas, contistas e poetas, que merecem estar na formação do conhecimento, na ampliação da inteligência e da cultura, finalmente, de novas gerações.

Os jovens e as jovens merecem, sim, em todo o Estado Maranhão, especialmente, o recebimento perfeito, completo, importante, imprescindível, do Ensino da História da Literatura Maranhense.

O professor José Ribeiro do Amaral nasceu, em São Luís, a 3 de maio de 1853, no livro “Resumo da História do Maranhão”, edição de 1968, de sua autoria, impresso no SIOGE, elaborou este registro: “Alguns Maranhenses Ilustres”: Manoel Odorico Mendes, poeta e político; Francisco Soares dos Reis, um dos maiores filólogos do Brasil; dr. José da Silva Maia, médico distintíssimo e político; Antônio Gonçalves Dias, grande poeta lírico; dr. Antônio Henrique Leal, médico e escritor, autor de bela obra “Panteon Maranhense”; Cândido Mendes de Almeida, geógrafo e historiador; dom Luís de Brito, famoso orador sacro; dr. Raimundo Teixeira Mendes, sábio universal; Henrique Coelho Neto, orador primoroso e prosador brilhantíssimo; Arthur Azevedo, o maior comediógrafo brasileiro; Raimundo Corrêa, admirável poeta; Aluízio de Azevedo, romancista de valor; Graça Aranha, escritor fulgurante; Humberto de Campos, Poeta, jornalista e escritor; Gomes de Souza, sábio aos 20 anos; Cézar Marques, médico, corógrafo e historiador; Almeida Oliveira, pedagogista, parlamentar e jurisconsulto; Maranhão Sobrinho, um dos maiores poetas do Brasil.”

Evidentemente que a História da Literatura Maranhense não terminou aí. Continuou e permanece até hoje. É muito longa e com muito conteúdo literário, revelando nomes de romancistas, contistas e poetas.

Na Academia Maranhense de Letras constam os nomes de 12 dos seus Fundadores, entre os quais 10 escritores maranhenses inesquecíveis.

Todos os Membros Efetivos da Academia Maranhense de Letras mereceram e merecem, até hoje, que sejam conhecidos por todos os maranhenses, especialmente, pois, como escritores perfeitos, inteligentes e cultos, integram também a História da Literatura Maranhense, que deve ser bem ensinada e aprendida.

Ensinar e aprender são duas missões importantes e que somente produzem o bem para a humanidade inteira.

Não basta nascer, pois, a seguir, cada pessoa deve saber viver e objetivando muito crescer através de sua própria inteligência, cultura, e em benefício do povo. Cada pessoa deve buscar na história da literatura lições que nelas estão.

E-mail: jcss@elo.com.br