Blog

Academia Maranhense de Letras

José Carlos Sousa Silva

Cadeira 33


No povoado Pau D”Água

1 de fevereiro de 2020

Já no início de uma segunda-feira, a dona Chiquinha estava chegando ao povoado Pau D´Água, entre os municípios São Bernardo e Santa Quitéria. Ela veio de muito longe, de outro povoado, caminhando sozinha e assim para trabalhar, fazendo comida com arroz, feijão, farinha e peixe originário do Rio Parnaíba, que é bem próximo, limitando os Estados Maranhão e Piauí.

Muitas crianças já estavam acordadas e todas, olhando para ela, gritaram: “A dona Chiquinha chegou! Vamos comer muito hoje!”

A dona Chiquinha parou e gritou: “Estou muito cansada, caminhei e corri muito porque uma onça correu atrás de mim e assim demonstrando que queria colocar a boca nas minhas pernas, o que não conseguiu porque eu fui muito veloz e me escondi dentro de um matagal!”

Diante dessa informação, as crianças gritaram: “Vamos rezar e agradecendo a Deus pelo fato de que a dona Chiquinha está viva aqui entre nós!”

A seguir, a dona Chiquinha ficou sorrindo e dizendo: “Estas crianças são todas filhas de Deus e assim merecem viver!”

De repente se lhe apresenta um menino e fala: “Eu sou o Zezinho, nasci aqui, onde a senhora está, está parecendo uma Santa e a senhora é muito linda, e, se eu fosse casar-me, agora, eu me casaria com senhora, pois nenhuma onça sequer me morderia, pois uma cobra já mordeu o meu pé, do meu lado direito, mas não morri, apenas muito chorei e pedi a Deus que não deixasse eu morrer!”

A dona Chiquinha olhou para o menino Zezinho e lhe disse: “Você já nasceu inteligente e assim vai crescer muito no que fizer na vida, e eu vou, enquanto viva estiver, pedir a Deus que lhe proteja sempre!”

Diante dessa afirmação, o menino Zezinho riu e gritou: “Estou muito feliz, vou trabalhar e estudar sempre para crescer na vida e sem destruir ninguém!”

Todas as demais crianças e dona Chiquinha riram e bateram palmas demoradamente, assim aceitando e aplaudindo a presença do menino Zezinho, naquele instante, no povoado Pau D”Água.

O povoado acima mencionado, é muito lindo. Tudo nele que for bem plantado, nasce e cresce, oferecendo riquezas naturais para que possam ser industrializadas em benefício, em especial, do povo maranhense, brasileiro, e para demais outros, no mundo inteiro.

É muito importante nascer e crescer no povoado Pau D´Água, de onde se pode ver e constatar a verdadeira e imensa beleza da natureza.

No Povoado Pau D´Água ninguém nunca se perdeu e nele viveu sem nenhuma prática da violência do homem contra o homem, o que nunca aconteceu e, por isso, nascer e viver nele é conviver com a felicidade e com a tranquilidade permanente diariamente.

Hoje, a dona Chiquinha está falecida, porém deixou para sempre no cérebro e no coração de cada pessoa que a conheceu, bem de perto, bons exemplos e lições de que o valor, a grandeza de cada ser humano, está nas ações e omissões nunca desumanas.

Diante dessa realidade fática e histórica, quero, aqui, registrar a minha admiração e respeito a todas as pessoas, que sabem realmente viver caminhando sempre pelo trabalho e pela ampliação da cultura, através de estudos imprescindíveis para o seu engrandecimento no seu meio social.

Finalmente, registro, aqui, esta lição: “Somente correr e se esconder para não morrer”.

José Carlos Sousa Silva

Advogado, jornalista e professor universitário, membro da Academia Maranhense de Letras

E-mail: jcss@elo.com.br