Blog

Academia Maranhense de Letras

José Carlos Sousa Silva

Cadeira 33


Liberdade de Informação Jornalística

20 de julho de 2019

No início de 1964, comecei a trabalhar no “Jornal do Dia”, hoje, é o jornal “O Estado Maranhão”, cujos fundadores são Bandeira Tribuzi e José Sarney, que me ensinaram muito. Eles sempre foram inteligentes, cultos e honestos.

Fui repórter e revisor de quatro páginas nos referidos jornais. Neles muito aprendi e consegui perceber a grandeza e a importância da liberdade de informação jornalística e que por isso merece proteção completa e integral respeito das autoridades e do povo também.

Na Constituição da República Federativa do Brasil nos seus artigos 220 ao 224 estão explicitadas regras que oferecem à “Comunicação Social” direitos e deveres que devem ser sempre bem lidos e interpretados em benefício da liberdade de informação jornalística.

A Comunicação Social produz excelentes e bons resultados na prática democrática e por isso deve sempre estar sob o amparo do que é legal e justo em benefício do povo.

A manifestação do pensamento é imprescindível, contém legitimidade pura, autêntica verdade pensada, sentida e avaliada pela inteligência do seu autor ou autora.

Nunca se deve permitir que essa autêntica e pura liberdade seja autoritária apenas e, sim, expressão real da verdade sentida e constatada pela inteligência do ser humano no seu trabalho digno do respeito e admiração do povo.

A criação da manifestação do pensamento tem força de Deus e a sua expressão assim deve ser verdadeira.

Falar e escrever devem ter sempre resultados benéficos ao seu autor e à sua autora e, por último, a todas as pessoas suas ouvintes e leitoras. Assim, a liberdade da informação só produzirá bons resultados.

O povo brasileiro está, hoje, diante de um Estado sob a direção muito conturbada. Não oferece a certeza de um futuro em que possa ser um excelente palco para uma vida social completamente segura, harmônica, solidária, autêntica expressão da bondade.

O povo brasileiro, hoje, precisa urgentemente que seja amparado completamente em seus direitos e que todos os deveres estatais sejam cumpridos.

A liberdade não nasceu do nada. Nasceu, sim, do amor e do respeito completo do saber pensar, sentir, falar e escrever sem ofensa aos direitos das pessoas em geral.

Assim sendo, a Liberdade de Informação Jornalística merece espaço completo no mundo inteiro e, em especial, no Brasil, a fim de que o povo sinta e constate a importância de viver e de saber acolher o melhor na vida, respeitando-a sempre.

O povo brasileiro deve sempre apoiar e aplaudir os que realmente sabem exercer a “Liberdade de Informação Jornalística”, pois, aqui, está a certeza do melhor para a vida de todas as pessoas.

Tudo o que contém o moral e o justo merece destaque na comunicação em geral. De dentro dessa realidade saem as suas lições que refletem positivamente em benefício de todas as gerações, nas quais estão crianças, jovens, adultos e idosos.

Diante dessa realidade não basta ter liberdade, pois o mais importante é que ela seja bem cumprida e respeitada.

José Carlos Sousa Silva

Advogado, jornalista e professor universitário, membro da Academia Maranhense de Letras

E-mail: jcss@elo.com.br