Blog

Academia Maranhense de Letras

Joaquim Haickel

Cadeira 37


Dizem que eu não gosto deles!…

23 de junho de 2018

Soube que o governador Flávio Dino teria dito em uma roda de conversa que não sabe o motivo de eu não gostar dele! Engraçado!… Essa foi a mesma frase que eu soube que Roseana Sarney disse a meu respeito, frase que se assemelha a uma que o jornalista Robert Lobato disse em uma postagem de seu blog sobre o fato de eu achar que o senador Roberto Rocha deveria abrir mão de sua candidatura em favor da criação de um grupo que pudesse realmente tentar mudar o rumo da história do nosso estado.

O motivo dessas pessoas, importantes na política do Maranhão, acharem que eu não gosto delas, se deve simplesmente ao fato de eu falar o que penso, e não aquilo que é agradável aos seus ouvidos!…

Quando alguém mente a respeito de uma pessoa, dizendo algo que a desagrada, como uma ofensa, um insulto, uma calúnia, uma injúria ou uma difamação, essa pessoa tem todo direito de achar que o autor dessas maledicências não gosta dela! Mas quando alguém relata fatos que comprovem que as coisas que fala, são verdadeiras!… Quem não gosta de si mesmo é quem as pratica!…

Quando eu digo que Flávio Dino é hipócrita, arrogante, prepotente, sectário, maniqueísta, perseguidor, messiânico, que até hoje não desceu do palanque eleitoral e que faz política universitária, digo apenas aquilo que todos estão vendo, que é seu modus operandi, coisas que ele faz e incita seu grupo a fazer, diariamente. Coisas facilmente comprováveis!

Quando eu digo que Roseana Sarney, cometeu um gravíssimo erro em não se candidatar ao Senado em 2014, se desincompatibilizando e possibilitando Luís Fernando eleger-se governador de forma indireta pela ALM, fato que foi responsável pela quase aniquilação de seu grupo político, por dar ouvidos a maus conselhos, por fazer o que não deveria ter sido feito, por relegar o contato com os políticos a um plano inferior, quase inexistente, digo apenas os fatos!

Quando eu digo que o senador Roberto Rocha pode vir a perder uma oportunidade única na vida pública, que é a de tentar criar um grupo político forte, demonstrando sacrifício de um projeto pessoal, abrindo mão de um sonho, que todos sabem ser muito difícil de ser realizado neste momento, em nome da possível construção de uma estrutura suprapartidária que possa desbancar não apenas o atual governo, mas outros grupos políticos que almejem o Palácio dos Leões, digo apenas o óbvio!

Quando alguém diz aquilo que verdadeiramente acredita, aquilo que dentro de sua visão, dentro de sua linha de observação e de raciocínio é o real e verdadeiro, mesmo que isso desagrade outras pessoas, a primeira reação destas é achar que o “boquirroto” não gosta delas.

Isso é um direito destas pessoas, mas ter esse direito não significa que elas estejam certas em suas ações. Eu nada tenho de pessoal contra nenhuma delas! Apenas exerço o meu direito constitucional de opinião e manifestação, e faço isso de uma forma que considero correta e respeitosa.

Em relação a Flávio Dino e seu governo, dei-lhes um ano de prazo, tempo em que fiquei sem tecer nenhum comentário sobre eles, esperando que dissessem a que vieram. Passado esse tempo comentei o que vi, e o que vi foi que só mudaram os nomes das pessoas, as práticas políticas continuaram as mesmas. Indiquei que em alguns casos aconteceram avanços e melhorias, mas que no geral, principalmente na ação política, houve um retrocesso aos tempos do vitorinismo, fato que qualquer pessoa pode comprovar!

Em relação a Roseana, se ela tivesse interesse de pelo menos ouvir as opiniões de algumas pessoas sensatas como seu próprio pai, o Maranhão não estaria mergulhado nesta era de perseguições, uma das mazelas pelas quais seus adversários não podem acusá-la.

No caso de Roberto Rocha, pelo menos ainda há tempo para ele fazer uma profunda análise e reconhecer que com altruísmo e coragem ele pode pelo menos tentar mudar o panorama político do Maranhão, coisa que nossos últimos governantes já provaram que não foram capazes de fazer.

Nada tenho de pessoal contra nenhuma das pessoas citadas neste texto, apenas tenho opinião formada sobre suas atitudes e ações políticas. É uma pena que elas não são capazes de entender isso.

PS: São por essas e por outras que Zé Sarney é e continuará sendo, por muitos e muitos anos, o maior político que o Maranhão já teve! Ele tem defeitos!?… Claro que tem!… Mas os defeitos dele seriam qualidades em outras pessoas…

Joaquim Haickel

Membro das Academias Maranhense e Imperatrizense de Letras e do IHGM