Blog

Academia Maranhense de Letras

José Carlos Sousa Silva

Cadeira 33


Caminho à Democracia Plena

27 de julho de 2019

A cada dia que passa, vou ficando mais preocupado com o destino do século XXI. A humanidade precisa estar conscientizada dos importantes valores que deve defender para enfrentar dificuldades no plano material e nunca deixar que a liberdade plena seja violada para a satisfação de certos grupos que preferem ficar onde estão, mesmo violando a legitimidade e a legalidade.

A liberdade é importantíssima. Sem ela não é possível a prática democrática. Sem democracia não há povo no mundo que consiga viver em paz e desfrutar das vantagens da segurança jurídica.

O avanço tecnológico não é o bastante para promover a felicidade humana. Há outros elementos mais importantes para que os seres humanos se sintam seguros e na certeza de que poderão alcançar os seus objetivos através de comportamentos normais e lícitos, sem a interferência da violência estatal, da estrutura econômica ou mesmo de algumas pessoas que preferem recorrer à prática do ódio para semear a desordem e desta tirarem proveitos pessoais.

O povo brasileiro, hoje, mais que antes, tem experiência suficiente para chegar à conclusão de que já viveu mais em períodos da ditadura do que da democracia e deve, por isso, ter muito cuidado para não mais assistir, bem de perto, à prática duradoura do autoritarismo estatal.

É preciso, também, estar consciente de que não basta constar em norma constitucional a afirmação de que “o povo é a fonte do poder e em seu nome será exercido”. É imprescindível, antes de tudo, ser permanentemente um vigilante muito atuante e de forma inteligente para nunca perder essa garantia constitucional em benefício exclusivo daqueles que só querem o poder político, para exercitar o ódio e construir facilmente a riqueza material pessoal.

Os meios de comunicação em geral nos revelam o quadro mundial em que os valores mais importantes para uma vida pacífica estão sendo danificados por aqueles que só pensam em satisfazer o seu próprio egoísmo, desse modo, alcançando benefícios próprios e ilícitos.

Os poderes denominados constituídos precisam estar urgentemente compostos de pessoas que saibam realmente avaliar a importância da democracia e nunca deixarem que seja danificada, pois, sem ela, o povo não terá sequer liberdade para escolher um modelo de vida, no qual a paz seja possível para todos.

O mundo está sendo palco de constantes atos e fatos que denunciam claramente a preponderância da indiferença a certos valores que são fundamentais para a ordem social. Se assim continuar, a humanidade sofrerá danos irreparáveis. Há, por aí, muitas pessoas que não estão sequer preocupadas com o seu próprio futuro. Querem apenas desfrutar das vantagens do momento e assim agridem os alheios.

O tempo nos ensina muito. Por isso mesmo, o povo deve escolher a melhor alternativa, objetivando o melhor caminho à plena democracia.

A violência nunca foi benéfica. Só fez e faz o mal.

Devemos unir ideias democráticos para que 2019 seja o espaço suficiente a uma reflexão profunda sobre a importância da permanência da democracia no mundo.

A violência no mundo está crescendo e essa realidade impõe medo aos que querem e podem contribuir para a ordem social.

As instituições devem unir-se logo e agirem no sentido de que seja dada prevalência à legitimidade e à legalidade, na construção de um modelo político-democrático.

O mundo não merece ficar subordinado às regras dos que só se dispõem à prática do mal.

José Carlos Sousa Silva

Advogado, jornalista e professor universitário, membro da Academia Maranhense de Letras

E-mail: jcss@elo.com.br