Blog

Academia Maranhense de Letras

Natalino Salgado

Cadeira 16


Aplausos para o Guarnicê

17 de outubro de 2020

Federico Fellini, um dos maiores cineastas de todos os tempos, cunhou uma frase magnífica acerca do cinema: “O cinema é um modo divino de contar a vida”. E essa vida contada – de modo realístico ou de modo mágico – encanta públicos de diversas idades, a partir da projeção numa tela que novamente se torna protagonista de nossas atenções, por ocasião de mais uma edição do Festival Guarnicê de Cinema, o terceiro mais antigo do país, com 43 anos de existência.

A abertura da edição 2020 ocorreu na última quarta-feira, dia 14, por meio da exibição, em cinema drive-in, respeitando os protocolos ditados pelas autoridades sanitárias e de saúde, com vistas à incolumidade física dos participantes, oferecendo ao público amante da sétima arte uma rica e diversificada programação, que se manifesta em formato híbrido, com a exibição de filmes na plataforma streaming.

Considera-se o Guarnicê de Cine e Vídeo como uma das mais bem sucedidas iniciativas da Universidade Federal do Maranhão. Em 2020, homenageia o ator Othon Bastos, em razão de seu legado, pois a sua história se confunde não só com a própria história do cinema brasileiro, mas também com a do teatro e da televisão. Protagonista de uma das mais profícuas carreiras artísticas, Othon Bastos é referência para novas gerações e também monumento da criatividade e da engenhosidade das artes cênicas. O evento homenageia, também, a atriz Dida Maranhão, o designer da UFMA, Ezequiel Filho e, in memoriam, o professor e ator Luiz Pazzini, vítima da Covid-19, em abril deste ano.

A despeito das dificuldades que se nos apresentam, a programação do Guarnicê 2020 mais uma vez se revela rica e diversificada, privilegiando públicos distintos, a exemplo da Mostra Cinema não tem Idade, da Mostra AP43 e da Mostra Escola de Cinema do IEMA. Além disso, faz-se referência às mostras competitivas nacional e maranhense, Mostra Mulheres, Mostra Othon Bastos, além de dezenas de ações formativas por meio de oficinas, webinários e masterclasses.

Outro grande diferencial, este dotado de extrema sensibilidade, é a homenagem que tem como alvo os profissionais de saúde que estão na linha de frente do combate ao vírus da Covid-19, no Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão. Na impossibilidade de serem distinguidos individualmente, eis que me foi confiada a missão de receber essa gigantesca honraria. Confesso que me sinto privilegiado, pois, na condição de médico e professor, construí uma sólida carreira naquela casa, onde assumi o desafio de transformá-la em referência nacional. A missão que me foi confiada e cabalmente cumprida por mim, contou com o auxílio de uma equipe de excelência. Alegro-me em ver, após tantos anos de árduo trabalho, os frutos dos esforços dedicados em favor da Sétima Arte, por meio de inúmeros projetos, ações e programas que, após serem implementados, cresceram, se fortaleceram e se expandiram.

A despeito dos tempos pandêmicos, que atravessamos, o festival mantém-se fiel ao seu caráter difusor de valorização do cinema em sua multiforme tarefa, seja ela informação, cultura ou diversão. Tanto sucesso, sem dúvida nenhuma, é graças ao esforço coletivo de todos e todas que se envolveram com o Festival, para que o evento acontecesse. Certamente, a edição 2020 do Festival Guarnicê de Cinema ficará na memória e no coração de todos aqueles que dela participaram, pois, mais uma vez, se renovou o encanto da tela grande e a certeza de que sempre existirão pessoas dispostas a contar histórias e também muitas outras a assistir a elas, a aplaudi-las e, com elas, se emocionarem, contrariando todos aqueles que já decretaram a morte do cinema nesses tempos de novas mídias e meios.

A arte foi e é uma das primeiras expressões da vitalidade da mente humana. Uma olhada nos desenhos rupestres em qualquer lugar do mundo revela um traço único da raça humana: a capacidade de expressão para além da fala, a necessidade de comunicação de sentimentos, ideias, imagens mentais, representações e símbolos que explicam um mundo transcendente que nos habita. A arte manifesta nosso sentido estético do mundo, recria realidades e mapeia nossa história, como povo, com uma cultura em particular. A UFMA proporciona o espaço e a matéria com a esperança de que os artistas, na verdadeira acepção da palavra, processem tudo isso em beleza etérea.

Natalino Salgado Filho

Reitor da UFMA, titular da Academia Nacional de Medicina, Academia de Letras do MA e da Academia Maranhense de Medicina