Blog

Academia Maranhense de Letras

José Carlos Sousa Silva

Cadeira 33


Academia Maranhense de Letras

18 de agosto de 2018

No dia 10 de agosto de 2018, a Academia Maranhense de Letras, fundada em 10 de agosto de 1908, completou 110 (cento e dez) anos de existência. São seus fundadores os ilustres imortais, até hoje, Antônio Lobo, Alfredo de Assis Castro, Astofolfo Marques, Barbosa de Godóis, Correia de Araújo, Clodoaldo Freitas, Domingos Barbosa, Fran Paxeco, Godofredo Viana, I Xavier de Carvalho, Ribeiro do Amaral e Armando Vieira da Silva.

A Academia Maranhense de Letras é pessoa jurídica de direito privado. Assim, sempre funcionou fundamentada na legitimidade e na legalidade, na Rua da Paz, nº 84, centro, em São Luís, Capital do Maranhão.

Ela dispõe, hoje, de uma Diretoria assim composta: Benedito Buzar – Presidente, Carlos Thadeu Gaspar – Vice-presidente, Sebastião Moreira Duarte – Secretário-Geral, José Ribamar Ewerton Neto – Primeiro Secretário, Laura Amélia Damous Duailibe – Segundo Secretário, Alsenor Duailibe Garcia (Alex Brasil) – Primeiro Tesoureiro, José de Ribamar Neres Costa – Segundo Tesoureiro.

A Academia Maranhense de Letras é composta, hoje, por 40 membros efetivos, que estão sempre unidos no cumprimento do seu Estatuto e do seu Regimento Interno. Sempre cumpriu com a sua finalidade, ou seja, o desenvolvimento da cultura, a defesa das tradições maranhenses e o intercâmbio com os centros de atividades culturais do Brasil e do exterior.

No cumprimento de seus objetivos, a Academia Maranhense de Letras poderá, por si ou em cooperação com terceiros: I – organizar serviços de documentação e informação; II – produzir, publicar, editar, distribuir e divulgar livros, revistas, vídeos, filmes, fotos, fitas, discos, discos magnéticos ou óticos, materiais diversos, exposições, programas de aúdio e vídeo, entre outros; III – realizar prospecção, gravação, edição e divulgação de imagens, músicas, depoimentos relacionados com suas diversas atividades; IV- documentar, por todos os meios, suas diversas atividades, assim como os fatos e situações que tiverem relação com suas finalidades; V – distribuir produtos e materiais da própria entidade ou de terceiros; VI – firmar convênios e contratos para prestação de serviços a outras instituições públicas ou privadas e terceiros; VII – realizar, organizar, promover ou integrar eventos culturais como debates, conferências, seminários, cursos, congressos e fins.

Desse modo, a Academia Maranhense de Letras segue no cumprimento dos seus deveres e exercendo os seus direitos, sob o comando do seu presidente dr. Benedito Buzar, dos demais Membros da sua diretoria e de todos os seus membros efetivos, num total de 40, que sabem de onde vieram, onde estão e para onde ainda podem ir, sob o comando da inteligência completa e da perfeita cultura, atuando nas ciências, nas artes e, em especial, na literatura.

O povo maranhense, em especial, tem, com certeza, na Academia Maranhense de letras, uma luz perfeita e eterna, para constatar a grandeza e a beleza do saber, a cada dia mais, sempre utilizado em benefício do bem.

O cento de dez (110) anos de existência da Academia Maranhense de Letras são indicadores perfeitos a muitas pessoas que escolheram o melhor caminho na busca da eternidade.

José Carlos Sousa Silva

Advogado, jornalista e professor universitário, membro da Academia Maranhense de Letras

E-mail: jcss@elo.com.br