Blog

Academia Maranhense de Letras

Ewerton Neto

Cadeira 11


A incrível sedução do(a) F***

31 de março de 2019

Se você acha que tem pendores para a escrita, quer ganhar muita grana e não tem pudor de escrever um monte de bobagens para iludir tolos, uma opção é candidatar-se a escritor de auto- ajuda e escolher bem as palavras do título de seu primeiro livro. Uma dessas soluções sedutoras tem sido  a de adicionar à letra F alguns asteriscos.

Por causa do F ou por causa dos asteriscos? Alguma dúvida, futuro escritor? Certamente não seria por causa da originalidade explícita em um sinal substituindo letras ou  por causa de um efeito visual irresistível. A essas alturas você já colocou sua sagacidade a seu serviço e já deduziu que não são os asteriscos ou o F a fonte da sedução, mas o que o tal do F   cercado de asteriscos entende ou subentende. Uma pitada de mistério, outra de proibição e…. Para bom entendedor meia palavra basta. Ou meio asterisco.

Pois a realidade atesta que nada menos de  vinte por cento da lista de best-sellers no segmento de auto-ajuda é composta de livros que exibem no título essa nova expressão como chamariz , o que não é pouca coisa. Isso significa grana, muita grana.  Basta contemplar a lista dos mais vendidos para concluir que essa palavra (se é que podemos chamar assim) só é superada pela palavra Poder, esta também useira e vezeira na lista  na base de 30% das amostras. Não deve ser à toa que Poder e “efes  asteriscados”  estão em 50 % dos livros de autoajuda mais vendidos. Há como explicar isso?

Ora, não precisa recorrer a especialistas para deduzir que a atração humana, e especialmente brasileira,  pelo F**** se explica pela dose anunciada de luxúria associada ao todo  inconsciente que segundo Freud tem a ver com sexo. Quanto à palavra poder, sua atração é auto explicável  por ser tudo aquilo que o ser humano almeja e aspira desde que nasce. Na lista das revistas estão os livros O Poder do Hábito, O Poder da Ação e o Poder do Agora. É poder que não acaba mais, o que leva a acreditar que o leitor nem percebe o complemento que acompanha o termo principal. Tanto faz! Se as palavras que compõem os títulos significassem o oposto dessas, a sedução à reboque da palavra Poder seria a mesma. Estivessem os livros intitulados  como o Poder do Raro, O Poder da Reação e o Poder do Futuro ou do passado, as pessoas comprariam da mesma forma.

É por isso que baseado nos dez títulos de autoajuda mais vendidos arrisco a intuir que haveria um título ainda mais irresistível do que aqueles associados a Poder e F*** : aquele capaz de conjugar numa frase todos os outros num só. Ou todas as baboseiras. Algo assim.

“ME POUPE! (3º lugar) .  A SUTIL ARTE DE LIGAR O F*DA-SE  faz com que SEJA F*** O MILAGRE DA MANHÃ .

O PODER DA AÇÃO traz O PODER DO AGORA  e OS SEGREDOS DA MENTE MILIONÁRIA,  DO MIL AO MILHÃO,   integrando-se  aO PODER DO HÁBITO”.

Quer felicidade maior do que essa? O título ficou um pouco longo, mas de uma coisa pode-se ter certeza. Venderia horrores!

José Ewerton Neto é autor de O ABC bem humorado de São Luis