Notícias

AML com nova diretoria

12 de março de 2020

Membros que comandarão a casa de Antônio Lobo tomam posse hoje, às 19h; o imortal Carlos Gaspar é o novo presidente.

Carlos Gaspar e Benedito Buzar conversam sobre a posse da nova diretoria da AML (Divulgação)

São Luís – A nova diretoria da Academia Maranhense de Letras (AML), toma posse hoje, em solenidade às 19h, na Casa de Antônio Lobo (Rua da Paz, Centro). Com um mandato de dois anos, assume como presidente Carlos Gaspar e como vice, Eliézer Moreira. Benedito Buzar deixa o cargo após nove anos à frente da instituição. O evento também vai marcar a reabertura da casa, após reforma realizada em convênio com o Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Integram ainda a nova diretoria da AML Sebastião Moreira Duarte (secretário geral), José Ewerton Neto (primeiro secretário); Laura Amélia Damous (segunda secretária), Joaquim Haikel (primeiro tesoureiro) e José Neres (segundo tesoureiro). Os imortais José Carlos Silva, Alex Brasil e Natalino Salgado integram o conselho fiscal. Durante a solenidade de posse, o intelectual Sálvio Dino fará a saudação à nova gestão.

Segundo Carlos Gaspar, que até então ocupava o cargo de vice-presidente da instituição, a intenção é dar continuidade a projetos já colocados em prática pela AML, como o que tem garantido edições e reedições de obras de autores maranhenses. O novo gestor também deseja promover a modernização e atualização do regimento da Casa de Antônio Lobo, cuja última revisão ocorreu há cerca de 15 sob a responsabilidade do então presidente da instituição, Jomar Moraes.

“Pretendemos fazer uma gestão harmônica, com a participação do grupo, de forma que vamos dar sequência ao que vinha sendo feito pelo Benedito Buzar e também no decorrer do tempo e conforme os recursos, colocar em prática novas ideias”, diz Carlos Gaspar que aponta como principal desafio “substituir Buzar, cuja gestão foi irrepreensível”.

O ex-presidente a instituição, Benedito Buzar, ressalta que é uma grande satisfação passar o cargo ao confrade. “Carlos Gaspar, além de ser um grande intelectual, tem experiência exitosa à frente de entidades como Junta Comercial do Maranhão, Sebrae, Associação Comercial do Maranhão e Câmara de Dirigentes Lojistas, o que o credencia de forma extraordinária para ocupar o cargo de presidente da Academia Maranhense de Letras”, destaca Buzar.

São quatro os projetos que o ex-presidente cita como destaque de sua gestão. “Academia vai às escolas”, executado nos anos 2017, 2018 e 2019, em que os acadêmicos visitavam os colégios da rede pública estadual; “Edição e reedição de livros de autores maranhenses”, com base na Lei de Incentivo à Cultura, do Governo do Estado, com a publicação de mais de 40 obras; “Inserção da AML no mundo das redes sociais”, por meio das ferramentas do whatsapp, facebook, youtube, instagram e da Rádio Web; “A reforma e restauração do prédio da Academia Maranhense de Letras”, realizada em convênio com o Iphan.

Presidente

Carlos Thadeu Pinheiro Gaspar ocupa a cadeira 26 da AML, tendo sido eleito em 14 de julho de 1994. Nasceu em Viana (MA), a 5 de dezembro de 1939. Ainda criança transferiu-se, com a família, para São Luís, cidade em que fez sua formação educacional: cursos primário no Colégio Maristas (1946-50), ginasial no Colégio Maristas (1951 a junho de 1953, até a metade da 3ª série) e no Colégio de São Luís (ago.1953-54) e de técnico em Contabilidade na Escola Técnica de Comércio do Centro Caixeiral (1955-57). Bacharel em Direito (1963) pela Faculdade de Direito de São Luís; bacharel (1962) e licenciado (1963) em História e Geografia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade do Maranhão (atual UFMA), instituição de que foi professor, lecionando, ao longo de 16 anos, História da Antiguidade, História da Cultura, História do Maranhão e História das Religiões.

Dedicando-se, em seguida, às atividades empresariais, segmento do qual é uma das mais expressivas lideranças. Possui diversas outras honrarias como a Medalha La Ravardière, da Prefeitura de São Luís, a Medalha do Mérito Timbira, do Governo do Estado, e a Medalha da Ordem Timbira do Mérito Judiciário, do TRT-16ª Região (no grau de comendador).

É membro também do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão (IHGM). Ele é autor, dentre outros, dos livros “Caminhos Percorridos”, “Catedral de Emoções” e “O Sobrado Amarelo”.

Serviço

O quê

Posse da nova diretoria da Academia Maranhense de Letras

Quando

Hoje, às 19h

Onde

Sede da Academia Maranhense de Letras – Rua da Paz, Centro