Eventos

Lançamento de novo romance do imortal Waldemiro Viana

22 de julho de 2016

Waldemiro Viana lança hoje, às 19h, na Academia Maranhense de Letras, o livro “Maria Celeste na Terra e no Mar”, inspirado na tragédia do navio homônimo
O escritor Waldemiro Viana se inspirou em fatos reais para escrever romance (Foto: Paulo de Tarso Jr./ Imirante.com)

O escritor Waldemiro Viana se inspirou em fatos reais para escrever romance (Foto: Paulo de Tarso Jr./ Imirante.com)

A história de uma das mais terríveis tragédias ocorridas na costa maranhense, a explosão do navio Maria Celeste, em 16 de março de 1954, serviu de inspiração para “Maria Celeste da Terra e do Mar”, novo romance do escritor Waldemiro Viana, membro da Academia Maranhense de Letras (AML). A obra, com 333 páginas e 13 capítulos, será lançada hoje, às 19h, naquela casa de intelectuais, na Rua da Paz, Centro. A solenidade será presidida pelo presidente da AML, imortal Benedito Buzar. Trata-se do sétimo livro do autor.

“Maria Celeste da Terra e do Mar” é uma obra de ficção baseada em fatos reais. Waldemiro Viana construiu uma narrativa desenrolando um romance que emergiu de um mar de criatividade, fazendo jus a seus escritos anteriores dentro dessa linha. O livro aborda a história de uma linda retirante nordestina junto ao comandante do cargueiro chamado Maria Celeste, cujo acidente resultou em uma grande quantidade de mortos e feridos, maranhenses em sua grande maioria. Naquela época, o autor residia na Rua dos Remédios, esquina com a Rua do Alecrim e até hoje recorda as explosões que estremeceram aquela região da cidade.

Definindo-se como “escritor mitômano”, Viana esclarece na apresentação do livro: “Advirta-se, então, aos ilustres sacerdotes e sacerdotisas do sacrossanto Templo da História, que evitem procurar inexistente agulha nesse fantasioso palheiro, pois caso o façam, ali somente irão encontrar as palhas desta saga que se destina a preencher outra finalidade. Mais que qualquer obra sua ou de outros autores, de ficção maranhense ou não, neste caso pede-se aos leitores que estendem a fronteiras ainda mais abertas aquela famosa ‘willing suspension os desbilief’, tida como implícita em todo leitor de obra romanesca, nas palavras daquele exigente Coleridge”.

Estrondo

Na orelha do livro, o escritor Benedito Buzar relata a reação da cidade quando do episódio. Ele tinha 16 anos na época e estudava no Liceu Maranhense, de onde ouviu, por volta das 10h, o estrondo “como se a cidade estivesse sendo bombardeada”. “Alunos e professores, apressadamente, deixam as salas de aulas e correm para a rua atrás de notícias e saber de onde vinha aquele pipocar ensurdecedor, que se imaginava ser de balas e provindas de alguma luta entre vitorinistas e oposicionistas, que, naqueles tempos, viviam em permanente conflito político”.

Waldemiro Viana assina também as obras “Graúna em Roça de Arroz” (1995), “A Questionável Amoralidade de Apolônio Proeza” (1991), “o Mau Samaritano” (1999), “A Tara e a Toga” (2010), “O Pulha Fictício” (2012) e “A Vez da Caça” (2015), além de “Passarela do Centenário e Outros Perfis” (2008), que reúne dados biográficos em sonetos de todos os membros da AML. Atualmente, Viana ocupa-se na divulgação de “Maria Celeste”, mas pretende começar a escrever outro livro. “Sou um ficcionista que sempre carrega suas obras com humor”, afirma Waldemiro Viana, cujas obras, no geral, carregam um teor de sensualidade.

Serviço

O quê: Lançamento do livro “Maria Celeste da Terra e do Mar”

Quando: Hoje, às 19h

Onde: Academia Maranhense de Letras (AML)

Preço do livro: R$ 50,00