Notícias

Academia Maranhense de Letras doa livros a escola pública de Itapecuru-Mirim

21 de julho de 2016

A doação faz parte de um projeto desenvolvido pela AML de ida às comunidades com o objetivo de incentivar a leitura, principalmente entre os jovens
Livros serão doados a 16 instituições (Foto: Gustavo Sampaio/ Do imirante.com)

Livros serão doados a 16 instituições (Foto: Gustavo Sampaio/ Do imirante.com)

Como parte das comemorações dos 146 anos de elevação de Itapecuru-Mirim à categoria de cidade, a Academia Maranhense de Letras (AML) doou livros de autores maranhenses, entre os quais membros atuais da entidade, à biblioteca do Centro de Ensino Professor Newton Neves. A direção da escola afirmou que o acervo vai ajudar a melhorar o ensino de literatura e incentivar a leitura entre os alunos da unidade.

A doação faz parte de um projeto desenvolvido pela AML de ida às comunidades com o objetivo de incentivar a leitura, principalmente entre os jovens, o que para Dilercy Adler, presidente da Academia Ludovicense de Letras, é um papel fundamental das academias. “As academias precisam sair dos seus muros e irem até as comunidades, desenvolver projetos nas escolas e participar dos fatos históricos, levando letras, história, cultura, artes e literatura a todos”, afirmou.

Para o presidente da AML, Benedito Buzar, trata-se de um reforço ao potencial artístico de Itapecuru-Mirim. “Isto contribui muito para a revelação de novos talentos e Itapecuru tem muitas personalidades que saíram da cidade para ocupar espaços importantes no país, por isso, é um centro que irradia cultura”, comentou.

O Centro de Ensino Professor Newton Neves é uma escola estadual que funciona em três turnos de ensino, tendo 1.200 alunos matriculados em três turmas pela manhã, seis à tarde e 12 à noite. Além da sede, a escola têm outros oito anexos totalizando 2.300 estudantes.

A diretora da escola, Lúsia dos Santos Ferreira, afirmou que esse tipo de projeto é necessário e contribui muito para o desenvolvimento da educação. “Muitos alunos não gostam de ler a agora eles podem se interessar mais pela literatura e isso vai trazer melhoras em diversas áreas do ensino”, destacou.

Fonte: OEstadoMA.com