O MUNDO CABE NO MEU QUARTO

Ana Luiza Almeida Ferro
Cadeira nº 12

O mundo cabe no meu quarto
e gira cada vez mais rápido
sem controle
sem filtro
me atordoa
me prende
deixando para trás o tempo
perdido nas cidades nuas
que se despiram do homo
que nunca foi sapiens.

O mundo cabe no meu quarto
e é invisível ao olho de Hórus
lavo as mãos
como Pilatos
ou Lady Macbeth
mas elas nunca estão limpas
os dedos me escapam
os anéis estão refugiados
no fundo da última gaveta
do primeiro móvel ao lado.

O mundo cabe no meu quarto
e não sei onde guardei a caixa
onde ficou a esperança
só me lembro das meias velhas
e das velhas histórias
contadas ao redor da fogueira
cuja chama quer morrer
mas é preciso vigiar
sem punir
meu reino por um abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carrinho de compras