As artimanhas de João Peixeira

0 modernismo, a par da renovação estético-formal da linguagem literária, trouxe à nossa literatura um fato realmente significativo que foi a ampliação do quadro dos motivos literários, com a incorporação dos motivos populares à nossa romancística.
O romance brasileiro nasce de maneira a mais vigorosa, em 1857, com a obra fundamental de nossa cultura, que é Memórias de um Sargento de Milícias, de Manuel Antônio de Almeida, aparecida inicialmente em folhetins do Correio Mercantil, uma vez que os romances de Teixeira e Sousa, entre os quais O Filho do Pescador, representam apenas ensaios frustros desse novo gênero surgido com o romantismo. Passou em seguida o nosso romance a tomar-se expressão de uma classe social, a burguesia urbana e rural, como ocorre com a obra de nossos dois grandes romancistas, José de Alencar e Machado de Assis, representantes de duas vertentes no romance brasileiro, a social e a psicológica, respectivamente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carrinho de compras