Andarilho

“Quem canta os frangos da granja tem direito a reivindicar o seu espaço nítido no território da modernidade poética. Um poeta que sabe ver – e, numa visão ao mesmo tempo devastadora e irônica, e pelo caminho da distorção e da transfiguração, planta a sua diferença e singularidade. E uma pena que a poesia seja hoje uma atividade secreta e clandestina. Eu gostaria que Terra treme chegasse a incontáveis ouvidos, e olhos, e lugares, com seus tatus, suas bananeiras obscenas e seus caminhões empoeirados.” LEDO IVO.

“Ronaldo Costa Fernandes revela antes de tudo um elevado grau de sintonia da palavra com a visibilidade das imagens que cria, denunciando intimidade com a língua e suas possibilidades de metamorfosear a realidade.” CARLOS TAVARES, Jornal de Brasília.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carrinho de compras