Maranhão Sobrinho pelas mãos de Jomar Moraes

Pesquisador reúne obra do simbolista no livro “Maranhão Sobrinho – Poesia Reunida” que traz, além de dos três livros de sua produção, poesias esparsas publicadas na imprensa da época

\"Jomar

Após anos de dedicada pesquisa e garimpos literários em São Luís, Belém e Manaus, o escritor Jomar Moraes acaba de tirar do forno o livro “Maranhão Sobrinho – Poesia Reunida”, do qual é o organizador. Trata-se da reunião, como o nome sugere, de grande parte da lavra poética do simbolista maranhense que publicou três livros entre a primeira e segunda décadas do século passado, além de vasto material em jornais e revistas que circulavam nas três capitais nas quais morou.

Ainda sem data de lançamento, o livro sai pelo selo da Editora UFMA (EdUfma) e reúne a produção de Maranhão Sobrinho publicada nos livros “Papéis Velhos”, de 1908; “Estatuetas”, de 1909 e “Vitórias-Régias”, de 1911. Os dois primeiros foram publicados em São Luís, já o último, em Manaus. “Esta influência amazônica fica explícita já no título do livro de Sobrinho, que nasceu em Barra do Corda em 30 de dezembro de 1879, morou em São Luís, Belém e Manaus, cidade na qual morreu, em 25 de dezembro de 1915”, diz Jomar Moraes.

Além das reedições dos livros, “Maranhão Sobrinho – Poesia Reunida” traz ainda dezenas de poemas escritos e publicados pelo simbolista em periódicos da época. “Ainda ficou alguma coisa de fora deste livro que acrescentaria em número mas não em qualidade”, destaca Jomar Moraes.

Sobre isto, o escritor Sebastião Moreira Duarte escreve na orelha do livro: “Eis, finalmente, a Obra Completa de Maranhão Sobrinho, sabendo-se que toda boa edição da espécie é a que, a rigor, resta incompleta, pela rigorosa seleção de quem discerne o que, fora dela, é o que fica porque não deve permanecer como selo de perpetuidade do criador de uma obra de arte literária de alto teor”, diz Moreia Duarte.

Importante

O pesquisador Jomar Moraes conta que acabou sendo impelido para o trabalho de garimpagem e reunião dos escritos de Maranhão Sobrinho por ter consciência da importância do poeta para as letras maranhenses e brasileiras. “Ele é um dos grandes poetas do Maranhão, nosso maior simbolista e que tem um certo reconhecimento aqui, o que falta nacionalmente”, frisa o pesquisador que espera que com o livro, esta lacuna seja preenchida.

Em seu texto de introdução da obra, Jomar Moares explica alguns equívocos acerca da biografia de Maranhão Sobrinho como por exemplo a data de seu nascimento e nome completo, bem como a inclusão de seus trabalhos em antologias e estudos sobre literatura brasileira. O organizador explica que a obra não tem a pretensão de exaurir a biografia do poeta, muito embora dê ao leitor informações relevantes sobre a vida de Maranhão Sobrinho. Para completar estas informações, Jomar Moraes indica a obra do escritor Kyssian Castro, intitulada “Maranhão Sobrinho: poesias esparsas”.

Após concluir os primeiros estudos em Barra do Corda, Maranhão Sobrinho mudou-se para São Luís. Na capital, publica poesias em jornais, integra a Oficina dos Novos. Na virada do século, o poeta muda-se para Belém. Ali também colabora na imprensa local e, tempos depois, segue para Manaus. Anos depois regressa a São Luís, ocasião em que ingressa na Academia Maranhense de Letras, como membro-fundador e titular da cadeira nº 19. Retornou a Manaus, onde morreu “sozinho, em condições precárias, numa casinha no subúrbio de Manaus na noite de Natal de 1915 com apenas 36 anos de idade”, destaca Jomar Moraes.

Ficha Técnica

Livro: “Maranhão Sobrinho – Poesia Reunida”

Organizador: Jomar Moraes

Editora: EdUfma

Preço: 30,00 – à venda na Academia Maranhense de Letras

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carrinho de compras