Imortais na escola

Academia Maranhense de Letras inicia projeto que propõe debates entre acadêmicos e estudantes de escolas públicas da capital; primeira instituição a receber a visita foi o Colégio Liceu Maranhense
\"José

A segunda-feira começou atípica para cinco confrades da Academia Maranhense de Letras (AML). Por meio do projeto “A Academia Maranhense de Letras vai à Escola” e sob a liderança do presidente Benedito Buzar, os imortais José Ewerton, Sebastião Duarte, José Carlos Sousa Silva e Waldemiro Viana passaram a manhã com alunos das turmas do ensino médio do Colégio Liceu Maranhense (Centro). Além da doação de mais de 30 obras literárias feita pela AML à Biblioteca Sotero dos Reis, os acadêmicos falaram sobre a importância da instituição e do contato presencial de seus membros com os estudantes.

O Liceu Maranhense foi a primeira a receber os representantes da AML, de um total de 13 escolas públicas contempladas nesta primeira etapa. Hoje, os alunos da Escola Benedito Leite têm, às 9h, um encontro marcado com os acadêmicos. O projeto prevê ainda sessões nas escolas João Francisco Lisboa (dia 11), Fernando Perdigão (dia 12), Humberto de Campos (dia 13), Gonçalves Dias (dia 16), Margarida Leal (dia 17), Manoel Beckman (dia 18), Tiradentes (dia 19), 2 de Julho (dia 20), Nascimento de Moraes (dia 23), Almirante Tamandaré (dia 24) e Vinícius de Moraes (dia 25), com variação das equipes que farão as visitas.

No Liceu Maranhense, os imortais foram recebidos pelo diretor Deurivan Sampaio. “É uma honra recebermos o presidente da Academia Maranhense de Letras nesta casa, onde ele também estudou, e os demais acadêmicos. Este projeto é louvável pelo fato de que, geralmente, os alunos não têm muito contato com os nossos escritores e poetas. Esperamos que a iniciativa ocorra anualmente”, disse o diretor.

Benedito Buzar, que estudou no Liceu Maranhense entre 1953 e 1958, falou sobre o propósito da iniciativa, que é aproximar os estudantes dos imortais da Casa de Antônio Lobo, e mencionou o fato de o Maranhão ser uma terra de ilustres escritores e poetas. Lembrou de sua fundação, em 1908, e do destaque dos intelectuais maranhenses na história da literatura nacional, bem como na fundação da Academia Brasileira de Letras (ABL), sendo inicialmente ocupada por cinco maranhenses, entre eles, Aluísio Azevedo, Coelho Neto e Graça Aranha.

“Estamos aqui para saber dos alunos o que eles pensam sobre literatura, sobre a cidade, trazer um pouco do que fazemos na AML, enfim, promover um debate sobre os autores maranhenses, entre outras coisas. Trouxemos ainda obras que consideramos importantes para a biblioteca da escola, de diversos autores, entre eles, Aluísio Azevedo, Graça Aranha, Joaquim Itapary, Jomar Moraes, José Chagas, José Sarney e Manoel Lopes”, disse Benedito Buzar.

O acadêmico José Ewerton também fez doações de obras autorais, como “O infinito em minhas mãos”. Para o estudante Louis Guilherme, presidente do Grêmio Estudantil, o projeto da AML é imprescindível e mais que necessário para a escola. “Desperta o interesse pela literatura, uma vez que o aluno sente-se estimulado pela presença dos acadêmicos. Ele se sente parte do processo de engrandecimento da cultura intelectual maranhense”, disse.

Cronograma de visitas às escolas

Hoje – Benedito Leite

Dia 11 – João Francisco Lisboa

Dia 12 – Fernando Perdigão

Dia 13 – Humberto de Campos

Dia 16 – Gonçalves Dias

Dia 17 – Margarida Leal

Dia 18 – Manoel Beckman

Dia 19 – Tiradentes

Dia 20 – 2 de Julho

Dia 23 – Nascimento de Moraes

Dia 24 – Almirante Tamandaré

Dia 25 – Vinícius de Moraes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carrinho de compras