Com honras a imortais

Casa de Antônio Lobo abriu programação comemorativa dos centenários de nascimento dos imortais Franklin de Oliveira, José Pires de Sabóia Filho e Erasmo Dias; o primeiro homenageado foi Franklin de Oliveira
\"Centenário

A Academia Maranhense de Letras (AML) iniciou o ano com sua programação comemorativa dos centenários dos membros da Casa de Antônio Lobo. A largada deu-se em 12 de março, quando os confrades exaltaram o nome de Franklin de Oliveira. Os próximos eventos ocorrerão nos dias 16 deste mês, às 19h, destacando José Pires de Sabóia Filho, e 2 de junho, no mesmo horário, quando os discursos serão dedicados a Erasmo Dias.

O primeiro homenageado, Franklin de Oliveira, nasceu em 12 de março de 1916 e foi jornalista que se entregou muito cedo ao ofício. Aos 16 anos, já escrevia para o Diário da Tarde. No Rio de Janeiro, em 1938, trabalhou em “A Notícia” e na “Revista Pif-Paf”, migrando em seguida para “O Cruzeiro”, onde escreveu a coluna “Sete Dias”, ao longo de 12 anos. Depois, foi contratado para editorialista e crítico do jornal Correio da Manhã.

Mais tarde, ele mudaria para Porto Alegre, convidado pelo governador Leonel Brizola, e lá exerceria o cargo de secretário do Conselho de Desenvolvimento Econômico do Rio Grande do Sul, retornando à Cidade Maravilhosa em 1963, para trabalhar na Petrobras. Seus direitos políticos foram cassados pelo regime militar, após o que trabalhou no jornal O Globo e colaborou na Folha de S. Paulo.

Em 1983, Franklin de Oliveira recebeu o prêmio “Machado de Assis”, da Academia Brasileira de Letras, pelo conjunto da obra. Para a Academia Maranhense de Letras, foi eleito em 23 de outubro de 1948 e empossado em 27 de outubro do mesmo ano, ocupando a Cadeira 38, patroneada por Adelino Fontoura e fundada por ele.

Segundo Benedito Buzar, presidente da AML, o cearense nascido em 16 de abril de 1916 José Pires de Sabóia Filho será o próximo homenageado. A página 190 da Revista da Academia Maranhense de Letras, a primeira edição de um total de quatro que sairão este ano, é dedicada à sua história . O advogado formado pela Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais do Ceará, mas também jornalista e professor da antiga Faculdade de Direito de São Luís, foi deputado federal pelo Maranhão em dois mandatos, e secretário de Interior, Justiça e Segurança, de março de 1975 a março de 1979.

“Ele foi eleito para a AML em 28 de junho de 1984, tendo sido empossado seis meses depois, na Cadeira 39, cujo patrono era Augusto Olímpio e o fundador, Pedro Braga Filho”, disse Benedito Buzar.

A programação de efemérides terá continuidade com o terceiro homenageado, Erasmo Dias, lembrado como um escritor fluente. Era romancista, contista, ensaísta e crítico literário. Boêmio, sua casa dos Apicuns tornou-se um ponto de encontro de jornalistas, intelectuais, escritores e aspirantes às Letras. “Erasmo Dias era um homem de letras, muito inteligente e que podia falar sobre qualquer assunto, onde estivesse: em um bar, na rua, em um restaurante ou na AML. Suas conversas eram uma verdadeira aula”, destacou Buzar.

Revista- De acordo com o presidente, não somente os centenários de nascimento, mas também homenagens a Antônio Lobo e Joaquim Vespasiano Ramos ganharam um capítulo à parte na Revista da Academia Maranhense de Letras. Conforme Benedito Buzar, a publicação, uma tradição que se arrasta desde 1919 (ano da gestão de Ribeiro do Amaral), deveria ter saído ano passado, mas em decorrência de problemas burocráticos o projeto precisou ser postergado.

“E agora, em 2016, o fazemos com imensa alegria e responsabilidade. Na presente edição e nas que virão, o leitor encontrará matérias importantes e assuntos diversificados e relacionados com a cultura e o empreendedorismo”, declarou.

Serviço

O quê

Programação de centenários de nascimentos de membros da AML

Quando

Dias 16 de abril e 12 de junho

Onde

Academia Maranhense de Letras (Rua da Paz)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carrinho de compras