Poeta Nauro Machado será homenageado em filme em 2016

Frederico Machado prepara projetos como filmes, lançamento de livros, semana de arte para homenagear o poeta Nauro Machado
\"Nauro

SÃO LUÍS – Empenhado em divulgar a obra de seu pai, o poeta Nauro Machado, falecido em novembro último, o cineasta Frederico Machado prepara uma série de eventos, lançamentos de livros e filmes e outros projetos para 2016. Na Sétima Arte, a grande novidade é o filme “Nau de Urano”, que possivelmente terá o ator Matheus Nachtergaele no papel do “cabo de guerra”. As negociações já foram iniciadas.

Ainda nesta seara, será lançado, em março, o longa “Signo das tetas”, que traz a participação do poeta. O filme é o segundo da chamada “Trilogia Dantesca” de Nauro Machado composta ainda por “O Exercício do caos”, lançado em 2013, e “Órbitas da água”, que deverá ser finalizado ano que vem.

“Nau de Urano” é um filme sobre Nauro Machado e contará sua vida de modo experimental e inovador. A produção começou há um ano e seria – antes da morte do poeta – um misto de ficção e documentário. “O roteiro está pronto, mas eu e a teatróloga Maria Helena Machado, que é sobrinha dele, trabalhamos no roteiro que precisou ser readaptado porque teríamos cenas gravadas com ele”, adianta Frederico Machado.

Com o projeto inscrito em alguns editais, a previsão é de que o filme comece a ser gravado no segundo semestre do ano que vem. O papel de Arlete Nogueira da Cruz, esposa e companheira de todas as horas do poeta, deve ser interpretado por Marcélia Cartaxo. “Ela interpretará o papel de Arlete Nogueira da Cruz, cuja dedicação e companheirismo marcaram a vida dele, pois ela foi mais que esposa, foi de uma sensibilidade enorme, abrindo mão, algumas vezes, de sua carreira literária e atuando como uma espécie de agente literária”, salienta Frederico Machado.

“Nau de Urano” é uma produção da Lume Filmes e tem data prevista de lançamento para 2017. O filme se passará, em sua maior parte, dentro de um porão de um navio que funcionará como a mente do poeta. Visceral, denso e profundo, ele viverá seus conflitos – entre os quais o alcoolismo iniciado aos 15 anos com a perda do pai – neste espaço, na sua “Nau de Urano”. “Suas muitas passagens pelos hospitais psiquiátricos, as bebedeiras, os conflitos, tudo será exposto no filme. Vamos mostrar que os ‘defeitos’ sempre ressaltaram as qualidades do poeta, de mente irrequieta e criativa”.

Semana

A obra poética também será exaltada na “Semana de Arte Nauro Machado”, que será realizada de 16 a 19 de março, no Convento das Mercês. “Nossa intenção é fazer, na semana, uma convergência das artes como literatura, teatro, fotografia e ainda palestras e debates”, diz Frederico Machado.

Fazem parte da programação da Semana o espetáculo teatral “O operário da palavra”, com direção de Tácito Borralho; o lançamento de um livro contendo 28 sonetos inéditos deixados com o editor da Editora Contracapa, que publicou alguns de seus títulos. “Será uma edição especial, encartada em uma caixa e com ilustrações de artistas plásticos de todo o Brasil”, adianta Frederico Machado.

Nauro Machado deixou prontos cinco livros inéditos. “Nossa pretensão é lançarmos um livro por ano, conforme ele queria. Há uns cinco anos, quando ele soube que tinha câncer, começou a organizar esse material e nos pediu para fazermos os lançamentos”, relembra Frederico Machado.

O cineasta ressalta que tanto os filmes quanto os livros serão ferramentas preciosas na hora de divulgar a obra do poeta para o restante do Brasil. “Ele sabia que era reconhecido no Maranhão. Mas não podemos dizer isso em relação ao Brasil. Com exceção de alguns intelectuais que sempre desatacaram seu trabalho, ainda falta um trabalho de divulgação”, observa Frederico Machado.

Outra meta é transformar a casa na qual Nauro Machado e Arlete Nogueira da Cruz viveram por mais de 30 anos e que é localizada no Centro de São Luís em uma casa de cultura batizada com o nome do poeta. A previsão é de que o espaço, após passar por algumas adaptações, seja aberto em agosto do ano que vem. Por lá serão instaladas a Escola Lume de Cinema, um museu contendo livros, manuscritos e correspondências de Nauro Machado, um cineclube que funcionará no auditório e uma cafeteria. “Minha mãe, quando reformou a casa antes de papai morrer, já pensava em fazer dela um museu. Mas pensamos que somente o museu não movimentaria o espaço e o que queremos é que a casa receba as pessoas que possamos fazer atividades culturais no espaço, como lançamentos de livros, exposições, essa coisas porque no fim, Nauro Vive!”. l

Poema inédito

Um Oceano Particular

Nada, nada, pois tudo é um nado em nada

A transbordar pelas bordas de um mundo

Inacessível às nossas mãos na água:

Para bebê-la ou para atravessá-la,

Não temos boca e nem mais os braços.

Nada, nadador, nada como um náufrago!

Fonte: OEstadoMA.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carrinho de compras