Odylo Costa, filho em publicação

Livro “Odylíada”, da professora Dinacy Corrêa, ganha segunda edição; obra faz referencia à vida e obra do escritor e jornalista maranhense autor de “A faca e o rio”
\"Obra

A poesia e a prosa de Odylo Costa, filho são o objeto do livro “Odylíada”, de autoria da professora Dinacy Corrêa. A obra, que chega em sua segunda edição com o selo da Editora Uema, traz ensaios que versam sobre os aspectos românticos e poéticos do escritor, cujo centenário de nascimento ocorreu ano passado.

Dinacy Corrêa explica que a primeira edição da obra foi lançada na década de 1980 e que esgotou. “Daí a necessidade de fazer outra, que desta vez está revisada e ampliada. Trata-se de um estudo biobibliográfico que planejei lançar ainda no ano de seu centenário, celebrado em 2014. Infelizmente, não consegui lançar ano passado”, observa a escritora.

O livro, uma das poucas obras sobre a vida e a obra de Odylo Costa,filho, pode ser, nas palavras da professora, um instrumento de pesquisa para alunos e interessados na trajetória do maranhense. “Odylo ainda é pouco lido e estudado, por tanto, um pouco desconhecido no âmbito cultural e literário local e nacional,mas a obra de valor indiscutível”, atesta Dinacy Corrêa.

O livro é dividido em três partes. A primeira, “Vida e obra poética de Odylo Costa, filho” fala sobre o itinerário humano-poético do escritor e ainda sobre sua seara poética e a arquitetura de seus poemas. Nesta parte, a professora discorre sobra linguagem, estilo, mensagem, entre outros aspectos.

A segunda parte “Sonetos escolhidos”, éum mostruário de uma sonetística contemporânea que, transcendendo a forma, em sua remota origem, é capaz de manter fixo o olhar no seu tempo presente e projetar-se para o futuro”.

A terceira parte do livro destaca a prosa de Odylo Costa, filho por meio do romance “A faca e o rio”, único do gênero escrito pelo maranhense e que foi traduzido para o inglês e também ganhou versão para o cinema. “Analiso o romance em uma perspectiva regionalista, que destaca aspectos reveladores do Nordeste Oriental Brasileiro, no caso Maranhão e Piauí em seus tipos característicos, uso, costumes e linguagem”, frisa Dinacy Corrêa.

Autora

Dinacy Corrêa é professora da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), doutora em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. São de sua autoria os livros “Um cordel para São Benedito” – já na segunda edição – e “Viana Maranhão – inventário histórico”, além de artigos em jornais e revistas.

Tem no prelo o livro “Da literatura Maranhense: o romance do século XX”, que é resultado de sua dissertação. A obra, que ainda está em fase de finalização, deverá ser lançada apenas no fim do ano que vem.

Odylo Costa, filho nasceu em São Luís em 14 de dezembro de 1914, mas cedo mudou-se para o Piauí. “Ele também se apaixona pelo Piauí e isso fica claro em sua obra, num desdobramento entre as duas cidades, São Luís e Teresina”.

Em 1930, muda-se para o Rio de Janeiro, cidade na qual forma-se em Direito. A carreira de jornalista veio ainda aos 15 anos, em Teresina. Nesta seara atuou ainda em veículos como a Rádio Nacional, Jornal do Brasil, Revista Senhor, O Cruzeiro, entre outros.

Autor de livros como “Alvoradas…” (1929) e “Boca da noite” (1979), ocupou cadeiras nas Academias Maranhense e Brasileira de Letras e deu significativas contribuições à vida pública do país.

Serviço

O quê

Livro “Odylíada”, de Dinacy Corrêa

Onde encontrar

Banca de Revista Praia Grande, Estacionamento do Centro de Criatividade Odylo Costa, filho; no Departamento de Letras da Uema

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carrinho de compras