Joaquim Salles de Oliveira Itapary Filho

Biografia

Nasceu em São Bento-MA, a 23 de abril de 1936. Filho de Joaquim Salles de Oliveira Itapary e Georgina Boabaidy de Oliveira Itapary. Em sua cidade natal cursou parte do ciclo primário no Grupo Escolar Mota Júnior. Com a mudança de sua família para São Luís, fez os cursos ginasial e científico no Colégio de São Luiz.  Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de São Luís, onde colou grau a 8.12.1962. Especialista em Problemas de Desenvolvimento Econômico pela Cepal-ONU/BNDES e em Política Internacional e Desenvolvimento pela Cepal-ONU/Ministério das Relações Exteriores. Especializou-se também em Programação Orçamentária pela Sudene.

Ingressou no serviço público em 1954, como escriturário do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão; foi secretário-executivo da Comissão de Planejamento Econômico do Maranhão, 1961-62; procurador autárquico da Sudene, desde 1963, órgão no qual exerceu as funções de assistente do Gabinete do Superintendente (gestão Celso Furtado) e chefe da Divisão de Coordenação do Plano Diretor de Desenvolvimento do Nordeste, 1963-65; membro da Assessoria Técnica do Governador José Sarney, 1966; diretor e a seguir titular da Superintendência do Desenvolvimento do Maranhão – Sudema, 1967-70; secretário de Planejamento e Urbanismo da Prefeitura de São Luís; diretor de Relações Industriais da Companhia Nacional de Álcalis – Cabo Frio – RJ, 1976; coordenador regional do Incra (Maranhão e Piauí), 1979-82; secretário da Cultura do Maranhão, 1983-85; secretário-chefe do Gabinete Civil do Governador do Maranhão, 1984-85.

Diretor-secretário dos jornais Jornal do Povo, O Combate, Diário da Manhã, Diretor-geral de O Estado do Maranhão, e diretor da revista Legenda, todos de São Luís.

Deputado à Assembleia Legislativa do Maranhão, 1971-74.

Um dos fundadores do Fórum Nacional de Secretários de Estado da Cultura, do qual foi presidente, órgão de fundamental importância para a criação do Ministério da Cultura; diretor de planejamento da Empresa Brasileira de Transportes Urbanos – EBTU, 1985; secretário executivo do Conselho Nacional de Zonas de Processamento de Exportações; membro do Conselho Técnico do Banco do Brasil; membro do Conselho Técnico do Fundo de Ação Social, da Caixa Econômica; membro do Conselho Nacional de Meio-Ambiente – Conama; pró-reitor de planejamento da Universidade Estadual do Maranhão, 1991-92.

Agraciado com as seguintes Medalhas: do Mérito Timbira; do Sesquicentenário da Independência do Brasil; do Mérito Santos Dumont, Ministério da Aeronáutica; do Mérito da Biblioteca Nacional do Brasil; do Mérito do Museu Nacional de Belas Artes; Da Costa e Silva, Mérito Cultural do Estado do Piauí; do Sesquicentenário da Independência do Brasil; Daniel de La Touche Sieur de La Ravardière, da Prefeitura de São Luís; do Mérito Visconde da Parnaíba, Piauí; João Lisboa, do Mérito Cultural, do Conselho de Cultura do Maranhão; do Mérito Mafrense; da Criação da Justiça Militar do Brasil; do Mérito da SUDENE; do mérito de O Estado do Maranhão. Pertence à Ordem do Mérito de Brasília, à Ordem do Mérito Aeronáutico e à Ordem dos Timbiras (em todas no grau de grande oficial). É cidadão honorário de Alcântara-MA.

Além de reportagens, crônicas e artigos em jornais e revistas, publicou diversos trabalhos técnicos em edições autônomas e em periódicos especializados. Dentre tais trabalhos destacam-se Projeto do Maranhão: Notas sobre o problema da propriedade. Recife: Sudene, 1965; e Terras Devolutas: Direito e Colonização. São Luís: Assembleia Legislativa, 1973. Redator de projetos de plantas de desenvolvimento para a Sudene e o Governo do Maranhão. Participou com os acadêmicos Carlos Madeira e Vera-Cruz Santana da comissão redatora do projeto de Constituição Política do Estado do Maranhão para 1968. Coordenou a redação final da Lei N°. 7.505, de 2 de julho de 1986 (Lei Sarney) de Incentivo à Cultura e do Decreto N°. 93.335, de 3 de outubro de 1986, que a regulamentou.

Procurador autárquico federal, foi, também, professor titular fundador da Escola de Administração Pública do Estado do Maranhão, membro do Departamento de Economia e Matemática da Universidade Estadual do Maranhão. Diretor-superintendente do Sebrae – MA, Conselheiro e Presidente da Fundação José Sarney.

Parte de sua produção está reunida nas obras: Seis poemas de Joaquim Itapary. São Luís: Edições AML, 1987, e Do incerto ócio (poesia). Brasília: Edições AML, 1989. Publicou, ainda, A falência do ilusório; memória da Companhia de Fiação e Tecidos do Rio Anil. São Luís: Alumar, 1995 (v. 11 da coleção Documentos Maranhenses); Sob o sol. São Luís: Edições AML, 2000; Tapuiranas. São Luís, edições da Academia Sambentuense, 2007; Hitler no Maranhão, ou O monstro de Guimarães. São Luís: Edições AML, 2011.

Membro da Academia Sambentuense, Joaquim Itapary reuniu, selecionou, organizou e prefaciou textos de natureza econômica de Bandeira Tribuzi, publicados, sob os auspícios do Banco do Estado do Maranhão S.A., no livro Estudos inéditos. São Luís: Sioge, 1992. Em colaboração com Álvaro Melo, organizou e anotou a 2ª edição do livro Pai e mestre, de Dom Felipe Condurú Pacheco. São Luís: Academia Sambentuense, 2004.

Bibliografia

Aguarde Atualização…

Discursos de Posse

Aguarde Atualização

Textos Escolhidos

Aguarde Atualização

Iconografia

Aguarde Atualização

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carrinho de compras