Frederico José Corrêa

Biografia

Frederico José Corrêa nasceu em Caxias, a 18 de dezembro de 1817. e faleceu em São Luís, a 28 de maio de 1881. Poeta e publicista, jurista e parlamentar, filólogo e, sobretudo, crítico. Formado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Olinda, fez vida pública na Província natal, ocupando cargos de projeção em sua administração: Comandante Superior, no posto de tenente-coronel, da Guarda Nacional; procurador-fiscal da Tesouraria da Província; Presidente da Câmara Municipal de Caxias; vice-presidente da Província e, mais de uma vez, deputado provincial. Era sócio honorário do Ateneu Maranhense, e o segundo Imperador fê-lo Oficial da Ordem da Rosa.

Bibliografia

  1. Inspirações poéticas. Rio de Janeiro, 1848.
  2. O papa, tradução de Ségur. Rio de Janeiro, 1860.
  3. Pensamentos e máximas. 1865.
  4. São Luís e o pontificado. Rio de Janeiro, 1869.
  5. Meditações. Tip. Comercial de Ramos d’Almeida & Cia. – São Luís, 1874.
  6. Exame crítico sobre a legitimidade do placet e recurso à Coroa – Julgamento e condenação do reverendo Bispo de Pernambuco. São Luís, 1874.
  7. Um livro de crítica. São Luís: 1878.
  8. Novo glossário das palavras e frases viciosas introduzidas no português e de outras que a necessidade reclama. São Luís, 1880.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Frederico José Corrêa

Biografia

Frederico José Corrêa nasceu em Caxias, a 18 de dezembro de 1817. e faleceu em São Luís, a 28 de maio de 1881. Poeta e publicista, jurista e parlamentar, filólogo e, sobretudo, crítico. Formado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Olinda, fez vida pública na Província natal, ocupando cargos de projeção em sua administração: Comandante Superior, no posto de tenente-coronel, da Guarda Nacional; procurador-fiscal da Tesouraria da Província; Presidente da Câmara Municipal de Caxias; vice-presidente da Província e, mais de uma vez, deputado provincial. Era sócio honorário do Ateneu Maranhense, e o segundo Imperador fê-lo Oficial da Ordem da Rosa.

Bibliografia

  1. Inspirações poéticas. Rio de Janeiro, 1848.
  2. O papa, tradução de Ségur. Rio de Janeiro, 1860.
  3. Pensamentos e máximas. 1865.
  4. São Luís e o pontificado. Rio de Janeiro, 1869.
  5. Meditações. Tip. Comercial de Ramos d’Almeida & Cia. – São Luís, 1874.
  6. Exame crítico sobre a legitimidade do placet e recurso à Coroa – Julgamento e condenação do reverendo Bispo de Pernambuco. São Luís, 1874.
  7. Um livro de crítica. São Luís: 1878.
  8. Novo glossário das palavras e frases viciosas introduzidas no português e de outras que a necessidade reclama. São Luís, 1880.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carrinho de compras