José de Jesus Louzeiro

Biografia

Nasceu em São Luís, a 19 de setembro de 1932. Filhos de Raymunda Souza Araújo Louzeiro e Aproniano Louzeiro. Aos 16 anos, ainda estudante, começou a trabalhar em jornais da capital maranhense, nas funções de revisor e repórter.

Mudou-se em 1954 para o Rio de Janeiro, passando, no ano seguinte, a trabalhar nestes órgãos de imprensa: copides que dos jornais Diário Carioca, Última Hora, Correio da Manhã, Luta Democrática, Jornal dos Sports, O Globo e da revista PN (Publicidade & Negócios), sendo, ainda, secretário gráfico e subsecretário de redação do Correio da Manhã.

De 1964 a 1968 foi editor fotográfico da Enciclopédia Barsa; de 1969 a 1971 dirigiu a circulação do Jornal do Escritor, órgão decisivo para a fundação do sindicato da classe no Rio de Janeiro, o primeiro a ser criado no Brasil. Nesse mesmo período regeu, como professor contratado, as cadeiras de Editoração e Técnicas Gráficas da Escola de Comunicação da UFRJ.

Viveu em São Paulo de 1972 a 1975, período em que exerceu as funções de copidesque da Folha de S. Paulo, secretário do Diário do Grande ABC e editor dos Diários Associados (Diário da Noite e Diário de São Paulo).

De volta ao Rio de Janeiro em 1975, escreveu reportagens para a Última Hora, jornal de que a seguir foi redator e secretário de redação.

De sua vastíssima produção como jornalista e escritor, constam artigos, reportagens, verbetes e outros textos para: Suplemento Dominical do Jornal do Brasil, Caderno do Livro do Jornal do Brasil; suplemento literário de O Globo; Correio da Manhã; Diário Carioca; Diário de Notícias (de Lisboa); Jornal de Letras; Revista da Semana; Revista Nacional e ainda as revistas Eu Sei Tudo, Leitura, Mundo Ilustrado, Vida Infantil, Planeta, Manchete, Fatos & Fotos, Ele & Ela, Panorama (do México), Enciclopédia Delta-Larousse; guias turísticos da Editora Abril; Livro de cabeceira do homem etc.

Presidente do Sindicato dos Escritores do Rio de Janeiro (1984-87), membro do Conselho Nacional do Direito Autoral (1985-86), do Conselho Superior de Censura (1987) e do Conselho de Direitos Humanos e Liberdade de Expressão da ABI (1987). Agraciado com a Medalha do Mérito Timbira.

Bibliografia

a) conto: Depois da luta. Rio de Janeiro: Simões, 1958 (2.ed., Record, 1980); Judas arrependido. Rio: José Álvaro Editor, 1968 (2.ed., Record, 1980).

b) novela: Acusado de homicídio.  Rio de Janeiro: Sávio Antunes, 1960 (2.ed., Record, 1983); Inimigos mortais. Rio de Janeiro: Cedibra,  1976; Moedas de sangue. Rio de Janeiro: Cedibra, 1976; O internato da morte. Rio de Janeiro: Cedibra, 1976; O estrangulador da Lapa. Rio de Janeiro: Cedibra, 1976 (2.ed., Record, 1981, incluindo Inimigos mortais, Moedas de sangue e O internato da morte}; Sociedade secreta. Rio de Janeiro: Cedibra, 1976 (2.ed., Record, 1981).

c) romance: Lúcio Fláuio, o passageiro da agonia. Rio de Janeiro: Civilização, 1975 (9. ed., Nova Fronteira,  1985; ed. especial do Círculo do Livro,  1986); Aracelli, meu amor. Rio de Janeiro: Civilização, 1976 (6. ed., Global,  1988); Infância dos mortos. Rio de Janeiro: Record, 1977 (5.ed., Global, 1987; ed. especiais em Grandes Sucessos, da Abril Cultural,  1984, e do Círculo do Livro, 1986); O estranho hábito de viver. Rio de Janeiro: Record, 1978 (ed. esp. do Círculo do Livro, 1984); Em carne viva. Rio de Janeiro: Record, 1980 (Clube do Livro, 1988); 20° axioma. Rio de Janeiro: Record, 1980; M-20. Rio de Janeiro: Record,  1981;  O verão dos perseguidos. Rio de Janeiro: Record, 1983 (Círculo do Livro, 1988); Devotos do ódio; uma profecia camponesa. São Paulo: Global, 1987 (Círculo do Livro, 1988); Ritinha Temporal. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1991; Mito em chamas; a lenda do justiceiro Mão Branca. São Paulo: 1997.

d) literatura juvenil: A gang do beijo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984 (ed. do Clube do Livro, 1986; 2. ed. para o mercado, Rio de Janeiro: Ediouro, 1996); O bezerro de ouro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984 (ed. do Clube do Livro, 1986; 2. ed. para o mercado, Rio de Janeiro: Ediouro, 1997); Praça das dores. Rio de Janeiro: Salamandra (6. ed.,  1994); Beija-flor: o amigo especial. Rio de Janeiro: Agir, 1995 (2.ed., 1997); JK: o otimismo em pessoa. Rio de Janeiro: Ediouro, 1996; Villa-Lobos: o aprendiz de feiticeiro. Rio de Janeiro: Ediouro, 1997.

e) diversos: Assim marcha a família (reportagens, em colaboração com diversos). Rio de Janeiro: Civilização, 1965; André Rebouças (estudo biográfico). Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1968; Os amores da pantera (argumento cinematográfico). Rio de Janeiro: Nosso Tempo,  1977 (2. ed., Record,  1983); Parceiros da aventura (roteiro cinematográfico). Rio de Janeiro: Record, 1979; O pilão da madrugada (depoimento de Neiva Moreira a José Louzeiro).  Rio de Janeiro: Terceiro Mundo, 1989; Pixote, a lei do mais fraco. Rio de Janeiro: Civilização, 1993; Elza Soares: cantando para não enlouquecer. São Paulo: Globo, 1997 (com a colaboração de Lenin Novaes).

A infância dos mortos está traduzido para o espanhol e o francês, e Lúcio Flávio, o passageiro da agonia, para o espanhol.

A obra de José Louzeiro compreende, ainda:

1. cinema: Os amores da pantera, direção de Jece Valadão; Lúcio Flávio, o passageiro da agonia, dir. de Hector Babenco; Amor bandido, dir. de Bruno Barreto (baseado em O estranho hábito de viver); Pixote, a lei do mais fraco, dir. de Hector Babenco (baseado em Infância dos mortos); Fruto do amor, dir. de Milton Alencar Jr., e Parceiros da aventura, dir. de José Medeiros. JL escreveu, ainda, estes argumentos e roteiros cinematográficos: O escolhido de lemanjá (com Jorge Durán); O caso Cláudia (com Miguel Borges e Valério Meinel); O sequestro (com Valério Meinel); O último vôo do condor (com Emílio Fontana e Antônio Carlos Fon); Escalada da violência; Estranhas relações; O sedutor fora de série; Amor maldito; O desejo da mulher amada; Noite (com Gilberto Louzeiro), O homem da capa preta (com Sérgio Rezende e Tairone Feitosa).

2. teatro: O dia da caça (baseado em Inimigos mortais); O último dia de Aracelli (texto de Marcílio Moraes, baseado em Aracelli, meu amor) e Infância dos mortos (textos de José Facuri e do grupo A gang do beijo, com base no romance homônimo).

3. telenovela: Corpo Santo (TV Manchete, 1987. Prêmios de Melhor Novela e Melhor Autor, da Associação Paulista de Críticos de Arte) e Olho por Olho (TV Manchete, 1988).

Discursos de Posse

Aguarde Atualização…

Textos Escolhidos

Aguarde Atualização…

Iconografia

Aguarde Atualização…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Carrinho de compras